Artigo

O que é Radiesse – Entenda mais sobre o procedimento

Por volta dos 30 anos, a produção de colágeno pelo organismo começa a diminuir e com essa redução vem os sinais do tempo. Rugas, flacidez, bigode chinês são alguns desses sinais, que embora não possam ser interrompidos, podem ser atenuados com técnicas como a aplicação de Radiesse.

Trata-se de um bioestimulador de colágeno, uma substância sintética que estimula a produção de colágeno, uma proteína encontrada naturalmente em nosso organismo que contribui para a elasticidade e resistência da pele e ossos.  

Continue lendo o post, entenda mais sobre o Radiesse, como funciona o procedimento, a quem é indicado, possíveis resultados, entre outras informações. Boa leitura!

2 5
A aplicação de Radiesse deve ser feita somente em consultório médico, por um dermatologista especializado na terapia.

O que é Radiesse?

O Radiesse é um bioestimulador injetável cutâneo sob a forma de gel. Possui em sua formulação o hidroxiapatita de cálcio e o fosfato de cálcio, ambos biocompatíveis e absorvíveis pelo corpo humano, por isso o risco de rejeição ou reação alérgica é quase nulo. 

Ao ser aplicado no rosto, o Radiesse promove a estimulação dos tecidos resultando na neocolagênese (acréscimo de colágeno), o que melhora o volume da região tratada, proporcionando mais qualidade a pele, reduzindo os sinais de envelhecimento

A composição do implante injetável consiste em 30% de hidroxiapatita de cálcio por volume e 70% de gel, microesferas de hidroxiapatita de cálcio, glicerina, água e fosfato de sódio.

Como age o Radiesse?

A aplicação desse bioestimulador promove um processo inflamatório cutâneo leve e controlado. Quando a substância é absorvida, atrai células de defesa que estimulam os fibroblastos a produzirem colágeno, por isso é chamado de bioestimulador. 

Com o passar do tempo, o organismo absorve todo o gel e o colágeno em crescimento preenche e ocupa o espaço com os tecidos naturais do próprio paciente, assim mais do que um simples efeito de preenchimento, o composto vai reconstruir as camadas da pele. 

Esse estímulo é capaz de trazer benefícios aos tecidos como:

Maior firmeza
Redução da flacidez
Maior elasticidade
Melhora na textura

A aplicação de Radiesse deve ser feita somente em consultório médico, por um dermatologista especializado na terapia.

Agende sua consulta

Agende uma consulta e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto.

Atendimento de Segunda a Sábado

A quem é indicado?

O procedimento é indicado para pessoas entre 30 e 65 anos, dependendo do grau do envelhecimento e ausência de volume. Quanto mais jovem, melhor a resposta dos tecidos, portanto, a técnica pode ser realizada quando percebidos os primeiros sinais de flacidez. 

Entre os casos que podem ser tratados estão:

Rugas nasolabiais ou “bigode chinês”;
Queixos amolecidos ou murchos;
Vincos de canto da boca ou “linhas de marionete”;
Perda do volume da bochecha;
Linhas de mandíbula flácidas;
Afinamento da pele que geram veias saltadas nas costas das mãos.

A quem é contra indicado?

Grávidas ou lactantes;
Pessoas alérgicas;
Pessoas com ferimentos ou infecção na pele;
Portadores de doenças autoimunes, como lúpus eritematoso.
Canal YouTube Juliana Toma

Como é feita a aplicação?

O primeiro passo é ter uma conversa com o dermatologista em que são levantadas as necessidades e anseios do paciente. Juntos irão decidir quais áreas vão receber as aplicações e os possíveis resultados. 

Os compostos estão presentes em forma de microesferas para serem melhor assimilados pelo organismo. Eles são diluídos de acordo com a textura da pele e o local.

A aplicação é feita na derme média em desenhos pré-definidos com distância média de 0,2 mm entre cada picada. 

O procedimento é praticamente indolor, no entanto, se o paciente apresentar muita sensibilidade à dor o dermatologista pode aplicar anestesia local antes da aplicação.

1 4

Quais os possíveis resultados?

O procedimento é bem versátil, podendo ser aplicado nas seguintes regiões:

  • Bochechas: quando injetado nessa região, as bochechas ficam mais volumosas e projetadas; 
  • Nariz: o Radiesse é ideal para pessoas que apresentam pequenas irregularidades em dorso nasal;
  • Ângulo da mandíbula: nessa região, o composto proporciona uma mandíbula marcada, angulada e com aspecto mais quadriculado;
  • Queixo: é indicada a aplicação do composto para as pessoas que possuem certo grau de hipomentonismo, dando a impressão de aumento do queixo e maior definição;
  • Têmporas: com o passar do tempo, as têmporas ficam mais finas, o que denota o envelhecimento da face. A aplicação do Radiesse proporciona o seu preenchimento, melhorando o aspecto;
  • Mãos: as mãos também sofrem com a ação do tempo, apresentando uma aparência esquelética com veias saltadas e aparentes por baixo da pele mais fina. A técnica preenche essas áreas, disfarçando as veias e clareando a pele.

 

Outras regiões também podem ser tratadas, contudo, as citadas são as que melhor respondem ao tratamento.

Cuidados após o procedimento

Após as sessões, o local pode ficar avermelhado e sensível. Possíveis hematomas somem em até uma semana. O paciente pode realizar suas atividades costumeiras sem problemas, no entanto, é necessário tomar alguns cuidados, como:

Evitar o uso de anti-inflamatórios nos primeiros dias após o tratamento;
Usar de filtro solar com fator mínimo de 30 FPS;
Fazer massagem no local com movimentos suaves por 5 minutos 3x ao dia nos primeiros 5 dias.

Perguntas frequentes

Quanto tempo dura o tratamento?

A durabilidade é considerável, visto que os efeitos do aumento de volume podem durar aproximadamente 18 meses. Como o processo de produção de colágeno depende de fatores individuais, esse período pode variar. 

Quantas sessões?

O número de sessões varia conforme a idade e objetivos do paciente, contudo, geralmente de duas a três sessões são suficientes, com manutenção semestral ou anual.

Pode associar a outros tratamentos?

Sim, os efeitos do Radiesse são potencializados quando associados a outros procedimentos e tratamentos recomendados pelo dermatologista

Sculptra e Radiesse são a mesma coisa?

Não, apesar de ambos serem bioestimuladores de colágeno, o Sculptra tem como base o ácido poli-L-láctico, que é um material sintético semelhante ao utilizado nas suturas.

Já o Radiesse combina um gel com microesferas de hidroxiapatita de cálcio, cuja estrutura é semelhante à encontrada nos dentes e ossos.

Há riscos?

Todo o procedimento estético pode apresentar riscos ao paciente, principalmente se não for realizados por um profissional capacitado.

Quando realizado em consultório dermatológico, os riscos são mínimos.

O Radiesse é muito seguro, pois se trata de uma substância que se assemelha com o que já temos no corpo humano. 

 

Agende uma consulta através do nosso WhatsApp

Dra. Juliana Toma – Médica Dermatologista pela Universidade Federal de São Paulo – EPM

Clínica no Jardim Paulista – São Paulo – SP

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521. Médica Especialista em Dermatologia pela SBD. Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês. Pós-Graduação em Pesquisa Clínica - Principles and Practice of Clinical Research - Harvard Medical School (EUA).

2 Comentários

Deixe o seu comentário.

Deixe o seu comentário