O que é o bigode chinês e como tratar

Não é novidade que a nossa pele passa por mudanças ao longo da vida. Ela naturalmente perde seu viço, elasticidade e textura. As rugas começam a surgir e ficam mais evidentes, assim como as marcas de expressão.  

Conforme a idade avança, duas linhas acentuadas nas laterais do rosto começam a ficar mais nítidas. O bigode chinês chega para todos, mas é possível atenuar sua aparência ou fazer com que ele demore um pouco mais a aparecer.

No post de hoje, vamos falar um pouco mais sobre o tema, suas causas, tratamentos caseiros e terapias conduzidas em um consultório dermatológico. Boa leitura!

O que é o bigode chinês?

Bigode chinês é o nome popular para sulco nasogeniano. É uma das marcas de expressão mais comuns após os 30 anos, caracterizada por dois vincos, um em cada lado da face, que se iniciam na base do nariz e seguem pela lateral da boca até abaixo dos cantos da boca. 

Qualquer pessoa está sujeita a desenvolver o bigode chinês devido à perda das estruturas que dão sustentação ao rosto, como colágeno, lipídios e ossos. Trata-se de um processo natural que começa a partir dos 25 anos, mas que acaba ficando mais proeminente ao longo da vida.

Quais as principais causas?

Não só a flacidez natural da pele faz surgir o bigode chinês, que também pode estar associado a fatores genéticos, raciais ou de saúde. Outros aspectos são responsáveis pelo surgimento dessas marcas, que acabam proporcionando um cansaço à fisionomia. 

Em geral, são agentes que interferem na qualidade e nas características básicas da pele, sua hidratação, reduzindo sua elasticidade: São eles:

Após o surgimento, é possível atenuar seus efeitos?

Sim, é possível, por meio de uma consulta o dermatologista vai analisar as condições do bigode chinês e definir as terapias para amenizá-lo. No entanto, é importante ressaltar que o processo de envelhecimento é contínuo e que os profissionais podem torná-lo mais lento, mas não interrompê-lo. 

Atualmente o paciente conta com dermocosméticos, procedimentos no consultório, tratamentos tópicos, medicamentos via oral, entre outras técnicas. São medidas que agem em conjunto, ajudando a suavizar as linhas de expressão.

Quais tratamentos podem atenuar as linhas?

Existe uma série de tratamentos para atenuar o bigode chinês, contudo, eles dependem principalmente das características de cada paciente, a exemplo da anatomia, histórico, qualidade da pele, grau de flacidez, entre outros.

Veja abaixo quais são os principais tratamentos recomendados.

Ácido retinóico 

O tratamento com ácido retinóico realiza uma fina esfoliação na camada mais superficial da pele, estimulando o crescimento de uma camada mais lisa, macia e uniforme. Apesar do nome, o ácido não traz danos à pele ou saúde do paciente, desde que seja realizado com o dermatologista.

Ácido hialurônico 

O ácido hialurônico administrado em forma de dermocosméticos, comprimidos e preenchimento, no intuito de suavizar os sinais da idade. Sua ação preenche os espaços que surgem entre a derme e epiderme, aumentando a hidratação da pele e sua uniformidade.

Pro-Xylane

É uma molécula de origem vegetal que consegue penetrar melhor a estrutura da pele, induzindo a produção natural do ácido hialurônico, colágeno e das fibras de elastina.

Peeling (físico e químico)

São indicados principalmente para pessoas que tenham marcas ainda pouco aparentes e não sejam muito profundas. Entre as substâncias usadas estão o ácido tricloroacético, ácido glicólico e ácido maleico.

Preenchimento 

A técnica de do bigode chinês é feita de duas formas: com ácido hialurônico ou com gordura autóloga (do próprio paciente). É realizada a aplicação ou enxerto de modo a suavizar as linhas de expressão.

Toxina botulínica (botox)

A toxina botulínica, comumente chamada de botox, age diretamente na área aplicada, evitando a contração dos músculos e assim a formação das linhas de expressão. Na primeira aplicação já é possível notar os resultados. 

Bio Estimulador de colágeno

O tratamento é feito com aplicações (injeção) de ácido poli-L-Lático com objetivo de estimular a produção de colágeno na região. A substância causa uma leve e inofensiva reação inflamatória na pele, ativando os fibroblastos e dando maior sustentação à pele.

Radiofrequência

Utiliza um aparelho para estimular a produção das fibras de colágeno a partir de altas temperaturas aplicadas diretamente no músculo. O intuito é dar maior sustentação e firmeza à pele, e como no botox, os resultados podem ser vistos na primeira sessão. 

Ultrassom microfonado

Assim como a radiofrequência, é utilizado o calor para estimular a produção das fibras de colágeno, promovendo o efeito de lifting facial de forma não-invasiva e não-cirúrgica.

Laser 

Age semelhante aos dois exemplos anteriores, com o calor para estimular as fibras de colágeno e elastina, reduzindo a flacidez e trazendo sustentação ao rosto.

É possível prevenir o bigode chinês?

Não, mas você pode retardar o seu aparecimento. A prevenção está associada a manter a hidratação da pele, evitar a exposição solar sem proteção e manter uma alimentação equilibrada. 

Para isso é importante utilizar cremes hidratantes que tenham em sua composição o ácido 

hialurônico, que preserva a integridade das fibras de colágeno, além de antioxidantes como:

  • Vitamina C, que auxilia na produção de colágeno; 
  • Resveratrol, que elimina radicais livres e protege a pele das ações do fotoenvelhecimento;  
  • Niacinamida, capaz de reduzir a perda de água da pele e estimular a produção de colágeno;
  • Cafeína, substância que pode dar uma aparência menos definida às rugas. 

Quanto à alimentação, é importante consumir alimentos que estimulam a produção do colágeno naturalmente, principalmente alimentos ricos em lisina (carnes, aves, ovos e soja), ômega 3 (peixes, abacate, linhaça), enxofre (alho, pepino, camarão), vitamina A (vegetais verdes, vermelhos, laranjas e amarelos) licopeno (vegetais de coloração vermelha e roxa como tomate, melancia e beterraba) e vitamina C (frutas cítricas). 

Quais exercícios podem ser feitos para atenuar o bigode chinês?

Se preferir, faça alguns exercícios em casa para estimular a musculatura da região. Vamos a eles:

Exercício 1

  1. Coloque os dedos indicadores nas bochechas, ao lado da boca;
  2. Puxe a bochecha esquerda com o dedo direito pressionando-a e faça movimentos circulares em direção aos dentes;
  3. Faça o mesmo com o outro lado.

Exercício 2

  1. Abra a boca, fazendo um “O” e segure e pressione com os dedos a lateral do bigode chinês, alongando o rosto;
  2. Faça 10 repetições para tirar o peso da musculatura da região.

Praticar diariamente esses exercícios contribui para a redução nas linhas de expressão, mas assim como os tratamentos, eles não solucionam o problema por conta do envelhecimento natural da face. 

Agende uma avaliação através do nosso WhatsApp

Dra. Juliana Toma – Médica Dermatologista pela Universidade Federal de São Paulo – EPM

Clínica no Jardim Paulista – São Paulo – SP

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521. Médica Especialista em Dermatologia pela SBD. Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês. Pós-Graduação em Pesquisa Clínica - Principles and Practice of Clinical Research - Harvard Medical School (EUA).

Deixe o seu comentário

Abrir chat
Agende sua avaliação