Artigo

Cuidados com a pele do bebê

O bebê exige muito cuidado e atenção, é necessário estar atento a cada detalhe, e são tantos que algumas mães, principalmente as de primeira viagem, ficam confusas e acabam esquecendo alguns cuidados. 

A pele do bebê é muito sensível e exige um carinho diferenciado, em todos os sentidos. Por isso, vamos te ajudar e dar dicas de cuidados com a pele do bebê, desde bem pequenino.

O bebê não precisa estar apenas limpo, ele precisa estar hidratado também. A pele tem muitas funções, como:

  • termorregulação imunológica;
  • manutenção da homeostase hidroeletrolítica;
  • defesa contra toxinas e infecções;
  • sensação tátil e;
  • secreção endócrina

Por isso, você deve ter bastante cuidado com a pele do seu bebê, muitos produtos aplicados na pele da crianças não foram desenvolvidos especialmente para eles e isso pode causa infecções.

Se o produto que você passa altera o pH, por exemplo, podem ocorrer problemas. O pH normal da pele é ácido e isso protege contra micro-organismos.

O banho do bebê recém-nascido deve ser feito de forma breve, é preciso evitar o uso de substâncias que atrapalham o pH.

Converse com seu médico antes do bebê nascer e compre produtos próprios para a pele da criança. A água não precisa ser esterilizada, mas é importante prestar atenção na temperatura para não queimar a pele do bebê.

É necessário observar também a área das fraldas, você não pode deixar essa área úmida, ela deve estar sempre seca para evitar dermatite, é necessário trocar a fralda sempre que a criança fizer xixi. Deve-se também usar fraldas bem absorventes e de emolientes à base de petrolato que ajuda a proteger a pele e evitar irritações.

Você precisa saber que as assaduras são comuns, mas não pode considerá-las normais, é necessário redobrar a atenção se a criança está tendo muita assadura e usar um produto específico para evitar o problema. Existem muitas pomadas que prometem aliviar a assadura e também prevenir, mas o mais indicado é conversar com o pediatra do seu filho para descobrir qual é a ideal para o seu caso.

Para saber mais sobre assaduras de fraldas, leia também: Como tratar das assaduras de fraldas em bebês.

As assaduras de fraldas são apenas um exemplo de que a pele do bebê requer cuidados especiais. Neste artigo, você irá descobrir porque a pele das crianças é mais sensível e como mantê-la sempre saudável.

A pele do bebê 

Você sabia que a pele da criança é consideravelmente mais fina que a de um adulto? A questão é que, embora tenhamos a mesma quantidade de camadas nesse tecido durante toda a vida, essas camadas são menos espessas na infância. 

Este aspecto, combinado a outros fatores, que serão explicados em seguida, são o motivo pelo qual a pele do bebê é mais sensível e, portanto, requer cuidados especiais. 

Durante os primeiros anos de vida, as glândulas sebáceas, células responsáveis pela produção de sebo e suor, trabalham em menor intensidade. Poucas pessoas sabem, mas o suor e a oleosidade tem um importante papel na proteção da saúde da pele, através de uma combinação conhecida como filme lipolítico, que dificulta a absorção de elementos externos nas camadas mais profundas do tecido cutâneo. 

Também é nesta fase que começam a ocorrer as primeiras manifestações clínicas de doenças que podem permanecer durante a vida adulta, em especial, alergias, como a dermatite atópica, dentre outras enfermidades, para as quais o organismo ainda não produziu anticorpos. 

Não podemos deixar de comentar ainda o alto risco de infecções, já que o bebê costumeiramente leva objetos as bocas, ou até mesmo as mãozinhas e os pezinhos após contato com superfícies diversas.

O sol na pele do bebê

O sol é muito importante, ele ajuda a fazer uma vitamina essencial para o corpo humano, os bebês precisam estar em contato com a luz solar direta, mas é importante vigiar o tempo que a criança fica exposta ao sol. O banho de sol deve acontecer pela manhã e apenas se o sol estiver mais leve, a queimadura na pele da criança pode acontecer em um tempo de 10 a 15 minutos, por isso se o sol está forte demais, evite.

As crianças até seis meses de idade não podem usar protetores solares, já falamos isso em outro artigo sobre filtro solar combate o sinais do envelhecimento, por isso não passe de forma alguma, pois o filtro solar possui toxina que provoca alergia nos bebês. O correto até o momento de passar o protetor é usar roupas compridas, boné, guarda-sol e evitar a exposição direta ao sol. Evite também a praia até o bebê estar maiorzinho.

Mesmo em dias quentes é preciso proteger e usar roupas compridas, nesse caso, para não deixar o bebê passar calor é indicado usar roupas leves de algodão. Tente evitar sair quando os raios solares estão mais fortes, entre 10 horas e 15 horas.

Estima-se que cerca de 50% da radiação recebida durante toda a vida do indivíduo aconteça até os seus 18 anos de idade, ou seja, nos primeiros anos de vida. Cabe aos pais e responsáveis ficarem de olho e tomar os cuidados necessários com a pele do bebê.

Os hidratantes para o bebê

Existem muitos hidratantes próprios para bebê, por isso dê sempre preferência para eles, a pele do seu bebê precisa ser hidratada para continuar saudável e macia. É interessante passar produtos sem cheiro nas crianças mais novas, depois dos seis meses você já pode usar um creme com cheirinho, mas deve ser um cheiro leve.

Os hidratantes não podem conter alfa hidroxi-ácidos ou filtro solar. É interessante a mãe usar o mesmo hidratante da criança, pois a mãe e o bebê estão sempre em contato. Para descobrir o melhor hidratante converse com o pediatra ou até o dermatologista, existem diversas marcas de hidratantes e cada uma tem uma fórmula, por isso não passe qualquer creme antes de consultar o médico.

Assim que escolher um produto, evite mudar, se a pele do bebê não reagiu ao produto e gostou, continue com ele, a troca do produto vai exigir que a pele do bebê se reajuste com outra marca e ingrediente e isso não é bom. Ah! E não deixe nunca de passar o hidratante, pode parecer que o bebê não precisa, mas esse cuidado é muito importante.

Essas são as medidas básicas que se deve ter com a pele do bebê.

Além disso, é recomendado usar um bom produto no momento do banho, um sabonete e shampoo indicado para a idade. 

Um problema comum que deve ser observado

Muitas crianças nascem ou ficam com pontinhos brancos e até espinhas no rosto, esse problema é até comum, mas você precisa ficar atento. Isso acontece geralmente por volta de 3 semanas e a condição vai embora depois de um mês ou um pouco mais. Essas erupções são causadas por secreções das glândulas sebáceas e suor.

Esse probleminha é muito comum e costuma aparecer no rosto e ombros do bebê, você não precisa ficar preocupada, essas erupções são benignas, é importante ficar atento apenas se aparecer algo na pele e o bebê ficar irritado e com febre.

As espinhas e pontinhos brancos não causam nenhum incomodo para a criança, no máximo ela pode sentir um pouco de coceira e não é necessário fazer nada, o problema resolve sozinho e com o passar do tempo. O cuidado que você deve ter é de dar banho no bebê e deixar ele sempre com roupas fresquinhas. Ah! E não mexa nas espinhas, nem passe nenhuma pomada ou creme.

Qual é a idade certa para começar a ir ao dermatologista?

A primeira visita do bebê ao dermatologista deve ser realizada ainda no primeiro ano de vida, principalmente se os pais possuem histórico para doenças de pele como alergias, bronquite e dermatite atópica. 

Geralmente, a consulta acontece após seis meses de idade. É um bom momento para os pais e responsáveis tirarem todas as suas dúvidas sobre os cuidados com a pele do bebê. O especialista irá avaliar a saúde da criança, orientar os pais e dar início a uma abordagem preventiva. 

O acompanhamento dermatológico deve continuar por toda a vida, com pelo menos uma visita ao médico anualmente. 

Nossa pele está em constante mudanças, e a transformação acontece mais rápido e de maneira mais significativa na infância. É preciso ficar de olho e otimizar os cuidados de acordo com a faixa etária. 

O dermatologista também irá analisar manchas, pintas e todo tipo de alteração suspeita, não só na pele, mas também no couro cabeludo, nos cabelos, nas mucosas e nas unhas.

Principais doenças de pele do bebê

Os cuidados com a pele do bebê tem como principal objetivo evitar problemas comuns a essa faixa etária. Vale a pena conhecê-los!

Acne neonatal

Muito comum em crianças recém-nascidas, a acne neonatal é marcada pela inflamação da pele, com surgimento de pequenas erupções, semelhantes às populares espinhas. 

Assaduras ou dermatite de fralda

Todas as crianças estão vulneráveis a assaduras, e nem sempre é uma questão de falta de higiene. O problema acontece por causa do contato frequente entre o tecido da fralda e a pele. 

Em geral, os sintomas da assadura são vermelhidão, ardência, irritação e coceira. 

Dermatite seborreica

Mais uma doença de pele comum entre os bebês, se trata de uma inflamação crônica presente em regiões ricas em glândulas sebáceas. A dermatite seborreica é caracterizada por escamas brancas ou amareladas, coceira e oleosidade, e acomete principalmente o couro cabeludo.

Dermatite atópica

Pele seca, inflamação e coceira são sinais de dermatite atópica. A dermatite atópica é uma espécie de reação alérgica comum e bastante incômoda. 

Brotoejas

A brotoejas são o terror dos dia a dia de mamães e papais. Sem dúvidas, uma queixa bastante comum nos consultórios de dermatologia infantil. 

O problema acontece quando há bloqueio das glândulas de suor, o que leva ao aparecimento de bolinhas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele, causando irritação e coceira.

Micoses

As micoses são populares na infância devido ao contato constante dos pequenos com o chão, brinquedos e outros objetos. Elas aparecem comumente na pele, nas unhas e no couro cabeludo.

Se trata de um distúrbio altamente contagioso, por isso, o tratamento é essencial. 

Impetigo

O impetigo é uma infecção bacteriana contagiosa que pode acometer as mais diversas partes do corpo. No caso dos bebês, afeta principalmente a área da fralda.

As lesões lembram espinhas e podem virar bolhinhas. Geralmente o tratamento requer o uso de antibióticos. 

Leia também: Conheça os principais tipos de dermatite e aprenda a diferenciá-los. 

Se tiver alguma dúvida a respeito dos cuidado com a pele do bebê, não deixe de compartilhar conosco nos comentários. E mostre também para seus amigos, principalmente os que estão esperando bebê ou estão com bebê recém-nascido.

Agende uma avaliação através do nosso WhatsApp

Dra. Juliana Toma – Médica Dermatologista pela Universidade Federal de São Paulo – EPM

Clínica no Jardim Paulista – São Paulo – SP

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521. Médica Especialista em Dermatologia pela SBD. Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês. Pós-Graduação em Pesquisa Clínica - Principles and Practice of Clinical Research - Harvard Medical School (EUA).

Deixe o seu comentário

Abrir chat
Agende sua avaliação