Artigo

Como evitar as estrias?

As estrias são um estiramento excessivo da pele, o que ocasiona o seu rompimento, e leva a formação de uma cicatriz na região. A área afetada é a derme, que fica logo abaixo da zona superficial da pele. Nela, se encontram as fibras de colágeno, que contribuem para a sustentação da pele, e as de elastina, responsáveis pela sua flexibilidade. 

Embora se trate de um problema simples a nível de saúde, elas são uma alteração esteticamente incômoda, ocasionando prejuízos a autoestima e a qualidade de vida das pessoas acometidas. 

Por isso, é tão importante a resposta à pergunta: Como evitar estrias? Podemos acrescentar ainda: Será que é possível? 

Para respondermos ambas as perguntas, precisaremos falar um pouco sobre as causas desta condição. 

Quando a pele sofre uma carga maior do que sua capacidade de tensão, ocorre então o rompimento das fibras elásticas, e assim as estrias.  As causas para o seu aparecimento podem ser destacadas em três teorias: mecânicas, endocrinológicas e infecciosas.

A teoria mecânica afirma que o rompimento das fibras elásticas da pele pode ser ocasionado pela obesidade, pois o acúmulo repentino de células gordurosas no tecido adiposo contribui para o estiramento da pele. 

Gravidez, puberdade (crescimento) e atividade física intensa também podem lesionar a derme.

A teoria endocrinológica afirma que o uso de hormônios adrenais, corticais e de anabolizantes pode provocar o aparecimento de novas estrias.

Enquanto a teoria infecciosa, afirma que pacientes após contraírem certas infecções, como febre tifoide e reumática ou hepatite crônica, apresentam danos às fibras elásticas, associando algumas doenças ao aparecimento de estrias. 

E por fim, não podemos deixar de comentar sobre a predisposição genética, que também pode contribuir para o aparecimento de estrias.

Quanto ao desenvolvimento do quadro, uma compreensão relevante quando o assunto é prevenção, as estrias rosadas são as mais recentes e sua coloração advém do rompimento de alguns capilares sanguíneos e vasodilatação. 

As brancas já são mais antigas, pois já ocorreu uma atrofia das células de colágeno e estiramento das células elásticas, as últimas são mais difíceis de tratar. 

Nas mulheres o seu aparecimento é mais comum nas coxas, glúteos seios e barriga. Nos homens ocorrem com mais frequência nos ombros, braços e costas.

Falar sobre como evitar as estrias é essencial, já que são consideradas lesões permanentes, embora existam tratamentos que podem amenizar sua aparência.

A manutenção do peso ainda é a melhor forma de prevenção das estrias. Por isso, evite ganhar ou perder peso muito rapidamente para não agredir o tecido epitelial, principalmente na gravidez e na adolescência

É importante também manter a pele sempre hidratada utilizando cremes cuja composição inclua óleo de sementes de uva, amêndoas, macadâmia ou o ácido hialurônico. É recomendável aplicar os cremes hidratantes logo após o banho, pois os poros da pele ainda estão abertos, sempre massageando a região.

Tenho mais algumas dicas para você que deseja descobrir como evitar estrias. Confira!

Evite ao máximo se coçar 

Você sabia que a coceira é em muitos casos sinal de falta de hidratação? E isso serve também para as mamães grávidas, que sentem intenso prurido em suas mamas e barrigas a medida que crescem. 

 

Para evitar a formação de estrias, evite coçar. Não ceda a tentação! O ato de coçar pode destruir as fibras que dão sustentação à pele, favorecendo assim o surgimento ou o agravamento das estrias. 

Quando sentir vontade de coçar, aplique creme hidratante ou óleo mineral exatamente no local da coceira, isso certamente aliviará a sensação.

Hidrate a pele diariamente

Escolha um bom creme hidratante, e passe-o sempre em todo corpo, em especial nas regiões na barriga, seios, braços e pernas, é fundamental para evitar as estrias. Como vimos, a dica é passar sempre depois do banho, o que intensificará a absorção do produto pela pele e cooperará para melhores resultados. 

Se você já sabe que tem predisposição a estrias, escolha produtos que auxiliem na prevenção. Se possível, peça ao seu dermatologista uma indicação, ele é a pessoa certa para te ajudar nesta questão. 

Além de hidratar a pele externamente, lembre-se também de beber muita água, hidratando o corpo de maneira geral. Coloque uma meta de pelo menos 2 litros de água por dia. 

Exercícios físicos

Os exercícios não só ajudam na manutenção do peso, o que também é muito recomendado para você que procura saber como evitar estrias, mas também mantém a pele firme, evitando o seu estiramento e prevenindo a condição. 

Contudo, exageros acabam se tornando prejudiciais. Exercícios muito intensos podem levar a um aumento rápido da massa muscular, o que esticaria muito a pele e poderia levar a formação de estrias. 

Massagens localizadas

As massagens também podem ajudar. Não necessariamente você precisa procurar uma profissional, embora sim, isso possa potencializar os resultados. Você mesma pode realizar leves massagens nas áreas mais propensas a estrias utilizando um creme hidratante. 

Os movimentos são similares aos da drenagem linfática e ajudam a melhorar a circulação da área, o que beneficiará inclusive a absorção dos princípios ativos do hidratante. 

Ácido Retinoico

O ácido retinoico é um composto da classe dos retinoides, um derivado da vitamina A. Esta é a substância mais estudada para tratamentos de pele, em especial contra o envelhecimento precoce causado pelo excesso de exposição solar. 

O uso do ácido retinoico pode combater as estrias, pois estimula a produção de colágeno, melhora a irrigação da derme, dando firmeza e estimulando a renovação celular e reorganizando as fibras celulares. 

Enquanto o retinol e o retinaldeído são tidos como cosmecêuticos, o ácido retinoico é um fármaco, e por isso só pode ser usado perante prescrição médica. 

Sendo assim, o seu uso exige consulta ao dermatologista, pois é quem vai indicar a concentração e quantidade certa do produto, evitando possíveis efeitos colaterais. 

Tratamentos a Laser

Os aparelhos a laser ao emitir luz aquecem a região estimulando a produção de colágeno. Eles podem ser usados em todos os tipos de pele, tanto nas estrias brancas quanto nas avermelhadas. A luz infravermelha aumenta a temperatura da pele até 65°C, desagregando o colágeno existente para a produção de um novo, renovando a derme.

Novamente, é imprescindível uma consulta ao dermatologista para avaliar quantas sessões são necessárias e qual potência no uso do laser. Seu uso indevido pode ocasionar manchas e queimaduras na pele. Os resultados aparecem somente após três meses do tratamento, quando ocorre a produção do colágeno induzido pelo laser.

Os tratamentos a laser mais utilizados são: 

Laser de CO2: Possui maior poder de penetração se comparado ao laser de Erbium, já que é menos absorvido pela água. Por causa disso, aquece mais a derme, tornando-se mais potente. No entanto, pelo mesmo motivo, há risco de hiperpigmentação da pele, o que poderia vir a causar manchas. 

Laser de Erbium: Ao contrário do laser de CO2, este é mais facilmente absorvido pela água, por isso, seu foco de atuação é a superfície da pele. Como seu efeito na derme é pequeno, não há uma estimulação de colágeno tão significativa. A vantagem é que neste caso não existe risco considerável de hiperpigmentação. 

Peeling

O termo “to peel”, em inglês, significa descamar. Peeling é o nome dado aos procedimentos que promovem renovação da pele com descamação. O peeling é uma boa opção para as estrias brancas e mais antigas sendo um método abrasivo, que elimina as camadas superficiais da pele, cuja finalidade é a regeneração da mesma. 

Os peelings podem ser  químicos ou físicos. 

Peeling físico: A esfoliação se dá por métodos físicos capazes de produzir dermoabrasão. O mais conhecido é o peeling de cristal, também chamado microdermoabrasão.

A microdermoabrasão (peeling de cristal) utiliza cristais de sílica e alumínio que eliminam as camadas mais superficiais da pele, retirando as impurezas e estimulando novas fibras de colágeno e elastina.

Peeling químico: O peeling químico é feito através de ácidos capazes de lesionar controladamente o tecido cutâneo. 

Existem várias opções de peeling químico que provocam a inflamação do tecido epitelial, destruindo as células envelhecidas e substituindo-as por novas, atuando assim na regeneração da pele.

Evite alterações súbitas de peso

Sem dúvidas, esta é uma das principais causas de estrias. As mudanças abruptas do peso, como emagrecer ou engordar repentinamente, causam o esticamento rápido da pele, o que pode gerar lesões. Por causa disso, manter-se no peso ideal é a melhor forma de evitar estrias. 

Sendo assim, recomendamos não só que você mantenha uma alimentação equilibrada e pratique atividade física regularmente para não ganhar peso, mas também que tenha cuidado com as dietas malucas que levam a uma grande perda de peso em um curto espaço de tempo. 

Equilíbrio é a chave para ficar longe do famoso efeito sanfona! 

 

Como podemos ver, é possível evitar estrias, e agora você já sabe algumas formas de fazer isso. Pratique as mudanças de hábitos sugeridas e procure um dermatologista para saber quais dos tratamentos estéticos exemplificados são mais indicados para o seu caso.

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521. Médica Especialista em Dermatologia pela SBD. Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês. Pós-Graduação em Pesquisa Clínica - Principles and Practice of Clinical Research - Harvard Medical School (EUA).

Deixe o seu comentário

Abrir chat
Agende sua avaliação