Ácido Retinoico: para que serve, indicações e riscos

Você provavelmente já conhece a fama do ácido retinoico. A substância, também conhecida como Tretinoína, é derivada da vitamina A, e entre vários outros efeitos, é um dos melhores tratamentos para controle da acne e suavização de rugas

O composto é indicado em todas as suas formas clínicas e possui propriedades capazes de melhorar o tônus da pele, acelerar sua cicatrização e melhorar a qualidade do colágeno. 

O ácido retinoico pode ser utilizado sozinho ou associado a outras substâncias, que tendem a potencializar seus resultados, como a Hidroquinona ou Fluocinolona acetonida, por exemplo.

Além disso, este composto é base para o desenvolvimento de novas moléculas, essas, tem como objetivo principal reduzir ou mesmo controlar os possíveis efeitos adversos provocados pelo ácido. A ideia é aumentar a sua estabilidade, tornando-o mais seguro sem que isso afete sua eficácia. 

Ao longo deste artigo discorreremos em mais detalhes sobre o ácido retinoico, seus efeitos e riscos.

O que é o ácido retinoico?

O ácido retinoico é um composto da classe dos retinoides, um derivado da vitamina A. Esta é a substância mais estudada para tratamentos de pele, em especial contra o envelhecimento precoce causado pelo excesso de exposição solar. 

Sua eficácia é incontestável, ele atua em diversos processos biológicos vitais, dentre eles, na reprodução, no metabolismo, no desenvolvimento ósseo e na diferenciação celular. 

Além disso, age através de uma ligação com receptores nucleares específicos de células do tecido cutâneo, desempenhando uma série de funções terapêuticas importantes. 

A estrutura da molécula de vitamina A foi descrita em 1931, levando a inúmeras pesquisas que tentavam a reproduzir sinteticamente. Mais tarde, em 1976, Sporn e colaboradores, introduziram o termo retinoides, que descreveria todos os análogos à vitamina A, inclusive a substância em questão, o ácido retinoico. 

O ácido retinoico estimula a produção de colágeno (que tende a decair com o avanço da idade), reduz os poros, e tem mais, suaviza manchas e linhas finas sobre a pele.

Para que é indicado? 

O ácido retinoico oferece inúmeros benefícios à saúde da pele de uma maneira geral. Dentre várias outras indicações, separamos três que são as mais comuns. Veja a seguir.

Tratamento Antienvelhecimento

Não é a toa que esta substância é considerada um dos melhores tratamentos de controle para as marcas do envelhecimento. O ácido retinoico estimula a produção de colágeno (que tende a decair com o avanço da idade), reduz os poros, e tem mais, suaviza manchas e linhas finas sobre a pele. 

Por causa disso, é muito indicado para o trato do fotoenvelhecimento, responsável por sintomas como rugas, hiperpigmentação, sardas e irregularidades na textura da pele.

Controle da Acne

Sem dúvidas, esta é uma das melhores opções terapêuticas para a acne, independente de sua forma clínica. As explicações por trás disso são simples: 

O ácido retinoico: 

  • Contribui para eliminação de cravos e previne novos comedões 
  • Trata pápulas e outras manchas 
  • Promove a hiperqueratose, impedindo obstrução de poros 
  • Controla a oleosidade da pele 
  • Impede a progressão da acne

Além disso, um outro efeito merece ser citado. Este tipo de tratamento contribui ainda para a cicatrização da pele, evitando a formação de cicatrizes de acne no rosto.

Resolução de Pápulas e Manchas 

O tratamento com ácido retinoico promove um aumento do fluxo sanguíneo, o que aumenta também o aporte de glóbulos brancos para a região tratada. O resultado disso é uma potencialização da resposta do sistema imunológico.

Essa reação inflamatória muitas vezes aparenta ser indesejada, levando a uma piora do problema. Contudo, essa piora é transitória, e seguida por uma resolução acelerada das pápulas ou manchas presentes.

Quem pode usar ácido retinoico

Será que todas as pessoas podem usar o ácido retinoico para tratar a pele? 

Apesar das indicações citadas e dos benefícios, sobre os quais falaremos mais adiante, existem também alguns riscos no tratamento. Por isso, a dúvida sobre quem pode usar esta substância é tão comum. 

De uma maneira geral, podemos dizer que a maioria das pessoas pode sim passar pelo tratamento. Contudo, alguns tipos de pele tendem a tolerá-lo melhor. 

Como assim? 

Aparentemente, peles oleosas ou com acne demostram mais facilidade para lidar com o ácido. Enquanto peles mais sensíveis, geralmente preferem o retinaldeido, tornando-se ressecadas e irritadiças com a aplicação do ácido retinoico.

Este tratamento é contraindicado para pessoas menores de 12 anos, gestantes ou mães em amamentação e para indivíduos que possuem hipersensibilidade a algum de seus componentes. 

Além disso, deve ser evitado por portadores de rosácea, uma doença inflamatória de pele crônica. Por estimular o fluxo de sangue, o que acaba levando a formação de novos vasinhos sanguíneos, o composto acaba piorando a vermelhidão tipicamente provocada por este distúrbio. 

Diante de tudo isso, fica clara a importância de procurar um dermatologista antes de passar por qualquer tipo de tratamento que envolva o ácido retinoico. O especialista é a pessoa certa para avaliar o seu caso e indicar qual a melhor opção para você, evitando assim qualquer prejuízo ou desconforto.

Como usar o ácido retinoico

Geralmente. o ácido retinoico é utilizado em forma de creme. Sua dosagem é recomendada pelo dermatologista e depende muito do problema a ser tratado. 

Mais uma vez ressaltamos que não comece o seu tratamento antes de consultar um dermatologista de sua confiança. 

Vamos a um passo a passo para aplicação do ácido retinoico. 

Antes da Aplicação

Os cuidados com a pele se iniciam antes mesmo da aplicação. Siga todas as orientações dadas pelo especialista, principalmente a respeito da concentração adequada do produto. 

Antes da aplicação, limpe bem a pele e remova todo o excesso de oleosidade. Após lavar bem o rosto, enxugue-o com carinho, deixando-o bem sequinho para melhorar a absorção do acido retinoico.

Quando Aplicar?

O melhor horário do dia para fazer a aplicação é a noite. Coloque na mão a quantidade de creme recomendada pelo médico e espalhe-a bem pelo rosto, em especial na testa, no queixo e nas bochechas. 

Tenha cuidado com os olhos! Deles você deve manter uma distância segura.

Recomendados que hidrate a pele 20 minutos após aplicação, para evitar o seu ressecamento.

Quanto tempo dura o tratamento?

O tratamento geralmente não tem um limite de duração. Após 6 meses de uso diário do produto, é indicada a redução da frequência de aplicação. Comece por dias alternados. 

Apesar de não existir um tempo determinado para o fim do tratamento, é importante que não haja exagero. O uso prolongado do ácido retinoico pode acarretar complicações. Faça o acompanhamento adequado e o seu dermatologista irá te orientar quando for o momento de interromper a terapia. 

Algumas pessoas ficam com a pele irritada, apresentam coceira e descamação mesmo com poucos dias de aplicação. Nestes casos, o especialista deverá ser consultado. Pode ser que o tratamento tenha que ser suspendido, ou pelo menos que a frequência de aplicação deva ser reduzida para duas ou três vezes por semana. 

Fique atento e se cuide! 

Cuidados durante o tratamento

Assim como a consulta inicial, o acompanhamento médico durante o tratamento é muito importante. 

Você sabia que o ácido retinoico é considerado um medicamento? 

Enquanto o retinol e o retinaldeído são tidos como cosmecêuticos, o ácido retinoico é um fármaco, e por isso só pode ser usado perante prescrição médica. 

A substância deixa a pele mais sensível e deve ser utilizada de maneira controlada. Após a aplicação, a pele se torna naturalmente mais sensível, pode ocorrer ainda a formação de manchas vermelhas e descamação deste tecido.

Os sintomas descritos devem desaparecer naturalmente com o tempo, caso contrário, entre em contato com o seu dermatologista. 

Durante o tratamento, o uso do filtro solar se torna ainda mais importante. É preciso deixar este tecido ainda mais protegido para assim evitar complicações. Se possível, evite expor-se muito ao sol mesmo usando protetor solar.

Caso vá depilar o rosto com cera, interrompa a aplicação do creme por pelo menos sete dias.

De qualquer forma, mantenha sua pele sempre hidratada e fique atento aos efeitos do tratamento.

Benefícios

De certa forma já falamos sobre alguns dos benefícios oferecidos pelo ácido retinoico. Contudo, vale a pena darmos a eles ainda mais destaque. Será que este tratamento pode ser útil para o seu caso? Descubra agora. Conheça os benefícios:

Ameniza estrias

O ácido retinoico contribui para renovação celular, e portanto, da pele. Com isso, dependendo de suas concentrações, pode ser usado para melhorar a aparência de estrias recém-formadas, evitando sua evolução. 

Além disso, como vimos, ele estimula a produção de colágeno e de fibras elásticas pelo tecido cutâneo, melhorando o seu aspecto geral.

Suaviza rugas

Pelo mesmo motivo anteriormente explicado, este tipo de tratamento ajuda a suavizar rugas. Contribui ainda para a prevenção do envelhecimento precoce, controlando os danos das agressões diárias a pele, em especial aqueles causados pelos raios solares.

Previne flacidez

A medida que o corpo envelhece a pele perde gordura e diminui a produção de colágeno, o que gera como consequência uma maior flacidez deste tecido. 

Incluir cremes com ácido retinoico nos cuidados diários com a pele, especialmente aqueles que combinem também vitaminas e minerais, é uma forma de adiar esse processo, resguardando a elasticidade e a firmeza do tecido.

Função antiacne

O ácido retinoico ajuda no controle da produção de sebo e da oleosidade da pele, desobstrui os poros e esfolia queratinócitos, fatores com efeito antiacne.

O roacutan, por exemplo, também é produzido com base em um derivado da vitamina A, a isotretinoina, e é um dos medicamentos mais usados no tratamento contra a acne. 

Rejuvenescimento

Além de prevenir o envelhecimento precoce, o ácido retinoico também coopera para o rejuvenescimento da pele, tornando-a mais uniforme e jovial, especialmente se utilizado acompanhado por ingredientes antioxidantes.

O contrário, a falta desta substância no tecido cutâneo, causa ressecamento da pele, queda de cabelo e pode ainda gerar sintomas em outros órgãos. 

Redução de poros

Se a sua pele é oleosa, esta certamente é uma grande vantagem. É por reduzir os poros, sem obstrui-los, claro, que o ácido retinoico contribui para uma menor produção de sebo. Além disso, a substância reduz o tempo de renovação celular, evitando o acúmulo de células mortas sobre a pele. 

Desta forma, os poros são mantidos em seu tamanho mais saudável, graças a produção de colágeno e ao controle da flacidez, ambos resultado desta substância derivada da vitamina A.

Melhora da aparência da pele 

Com tudo isso, fica fácil imaginarmos que os benefícios alcançam a pele como um todo, dando a ela uma aparência mais saudável e bonita. 

O composto previne manchas dos mais diversos tipos, suavizando áreas mais escuras, o que acompanhado pelos efeitos anteriormente citados, produz um resultado bastante satisfatório. 

Para que todos esses benefícios sejam garantidos, é indispensável o acompanhamento médico adequado. Além disso, o uso de protetor solar é crucial, bem como a hidratação adequada da pele. 

Aqueles que seguem corretamente às orientações, desfrutam de um excelente resultado.

Possíveis Efeitos Colaterais

De acordo com a sensibilidade da sua pele, podem surgir alguns efeitos colaterais.

Inicialmente, tende a ocorrer uma piora das pústulas e da vermelhidão da pele tratada, o que tende a desaparecer naturalmente após as duas primeiras semanas de tratamento. 

Dentre as complicações mais comuns, podemos citar também o ressecamento da pele, a sua descamação e a irritação, que são resultados da agressão provocada pelo composto. 

Caso tais sintomas não desapareçam com o tempo, ou produzam acentuado desconforto, o médico deve ser consultado. 

Algumas pessoas descrevem sensação de queimação, coceira e dermatites, que são sintomas inesperados. Para esses indivíduos a melhor opção pode ser optar pelos precursores do ativo, que tendem a ser mais toleráveis por peles sensíveis. Os produtos recomendados já foram citados aqui, o retinol ou o retinaldeído. 

De uma maneira geral, todos os que estiverem fazendo uso do ácido retinoico devem evitar ao máximo a exposição solar, usando filtro solar de FDP alto mesmo em ambientes fechados. 

Além disso, deve-se evitar o uso de loções adstringentes ou tônicas, esfoliantes ou sabonetes abrasivos. Também é proibido o uso de esponjas sobre a área tratada durante o tratamento. 

Por outro lado, é fortemente recomendada a aplicação de hidratantes e cremes vitamínicos que reforçam a saúde da pele. 

Os efeitos colaterais podem indicar uma maior sensibilidade da pele ao produto ou, como em muitos casos, o uso excessivo do ácido. De qualquer forma, o dermatologista é a pessoa certa para te indicar como proceder em uma situação como esta.

 

Deixe o seu comentário