Ácido Retinoico: para que serve, indicações e riscos

Possivelmente você já ouviu falar do ácido retinoico. Também conhecido como Tretinoína, essa substância é derivada da vitamina A, e se mostrou um dos mais eficientes tratamentos para controle da acne e suavização de rugas

O composto é indicado em todas as suas formas clínicas e possui propriedades capazes de melhorar o tônus da pele, acelerar sua cicatrização e melhorar a qualidade do colágeno. 

O ácido retinoico pode ser utilizado sozinho ou associado a outras substâncias, que tendem a potencializar seus resultados, como a Hidroquinona ou Fluocinolona acetonida.

Além disso, esse composto é base para o desenvolvimento de novas moléculas, essas, têm como objetivo principal reduzir ou mesmo controlar os possíveis efeitos adversos provocados pelo ácido. A ideia é aumentar a sua estabilidade, tornando-o mais seguro sem afetar sua eficácia. 

Continue lendo, entenda mais sobre a ação do ácido retinoico, seus efeitos e riscos.

O que é o ácido retinoico?

O ácido retinoico é um composto da classe dos retinoides, um derivado da vitamina A. Trata-se de uma das substâncias mais administradas para tratamentos de pele, em especial para retardar os efeitos do envelhecimento precoce causado pelo excesso de exposição solar. 

Ele age a partir da ligação com receptores nucleares específicos de células do tecido cutâneo, desempenhando uma série de funções terapêuticas importantes. Dessa forma, atua em diversos processos biológicos vitais, dentre eles, na reprodução, no metabolismo, no desenvolvimento ósseo e na diferenciação celular. 

A estrutura da molécula de vitamina A foi descrita em 1931, levando a inúmeras pesquisas que tentavam a reproduzir sinteticamente. Mais tarde, em 1976, Sporn e colaboradores, introduziram o termo retinoides, que descreve todos os análogos à vitamina A, inclusive a substância em questão, o ácido retinoico.

O ácido retinoico estimula a produção de colágeno (que tende a decair com o avanço da idade), reduz os poros, e tem mais, suaviza manchas e linhas finas sobre a pele.

Para que é indicado? 

O ácido retinoico oferece inúmeros benefícios à saúde da pele de uma maneira geral. Dentre várias outras indicações, separamos três que são as mais comuns. Veja a seguir.

Tratamento Antienvelhecimento

O ácido retinoico estimula a produção de colágeno (que tende a decair com o avanço da idade), reduz os poros, suaviza manchas e linhas finas sobre a pele. 

Por causa disso, é muito indicado para o trato do fotoenvelhecimento, responsável por sintomas como rugas, hiperpigmentação, sardas e irregularidades na textura da pele.

Controle da Acne

O tratamento se mostrou eficiente para o controle da acne, independente de sua forma clínica. As explicações por trás disso são simples: 

O ácido retinoico: 

  • Contribui para eliminação de cravos e previne novos comedões 
  • Trata pápulas e outras manchas 
  • Promove a hiperqueratose, impedindo obstrução de poros 
  • Controla a oleosidade da pele 
  • Impede a progressão da acne

Além disso, um outro efeito merece ser citado. Esse tipo de tratamento contribui ainda para a cicatrização da pele, evitando a formação de cicatrizes de acne no rosto.

Resolução de Pápulas e Manchas 

O tratamento com ácido retinoico promove um aumento do fluxo sanguíneo, o que aumenta também o aporte de glóbulos brancos para a região tratada. O resultado disso é uma potencialização da resposta do sistema imunológico.

Essa reação inflamatória muitas vezes aparenta ser indesejada, levando a uma piora do problema. Contudo, essa piora é transitória, e seguida por uma resolução acelerada das pápulas ou manchas presentes.

Quem pode usar ácido retinoico

De uma maneira geral, podemos dizer que a maioria das pessoas pode sim passar pelo tratamento, contudo, alguns tipos de pele tendem a tolerá-lo melhor. Além disso, existem também alguns riscos de efeitos colaterais. 

Aparentemente, peles oleosas ou com acne demonstram maior facilidade para lidar com o ácido. Enquanto peles mais sensíveis podem apresentar ressecamento ou irritação. Nesses casos, o ideal é o retinaldeído, uma variação natural de ácido retinoico, também derivado de vitamina A.

O tratamento é contraindicado para pessoas menores de 12 anos, gestantes ou mães em amamentação e

para indivíduos que possuem hipersensibilidade a algum de seus componentes. 

Também deve ser evitado por portadores de rosácea, uma doença inflamatória da pele crônica. Por estimular o fluxo de sangue, o que acaba levando a formação de novos vasos sanguíneos, o composto acaba piorando a vermelhidão tipicamente provocada por esse distúrbio. 

Diante de tudo isso, fica clara a importância de procurar um dermatologista antes de passar por qualquer tipo de tratamento que envolve o ácido retinoico. O especialista é a pessoa certa para avaliar o seu caso e indicar qual a melhor opção para você, evitando assim qualquer prejuízo ou desconforto.

Como usar o ácido retinoico

O ácido retinoico é utilizado em forma de creme, pasta ou gel. Sua dosagem é recomendada pelo dermatologista e depende muito do problema a ser tratado. 

Mais uma vez ressaltamos que não comece o seu tratamento antes de consultar um dermatologista de sua confiança. 

Vamos a um passo a passo para aplicação do ácido retinoico.

Antes da Aplicação

Os cuidados com a pele se iniciam antes mesmo da aplicação. Siga todas as orientações dadas pelo especialista, principalmente a respeito da concentração adequada do produto. 

Antes da aplicação, limpe bem a pele e remova todo o excesso de oleosidade. 

Após lavar bem o rosto, enxugue-o com suavidade, deixando-o bem seco para melhorar a absorção do ácido retinoico.

Quando Aplicar?

O melhor horário do dia para fazer a aplicação é durante a noite. Coloque na mão a quantidade de creme recomendada pelo médico e espalhe-a bem pelo rosto, em especial na testa, no queixo e nas bochechas. 

Tenha cuidado com os olhos, mantendo uma distância segura deles.

Após a aplicação

É recomendado que hidrate a pele 20 minutos após aplicação para evitar o seu ressecamento.

Quanto tempo dura o tratamento?

O tratamento geralmente não tem um limite de duração. Após 6 meses de uso diário do produto, é indicada a redução da frequência de aplicação. O ideal é sempre usar em dias alternados. 

Apesar de não existir um tempo determinado para o fim do tratamento, é importante que não haja exagero, visto que o uso prolongado do ácido retinoico pode acarretar complicações. Faça o acompanhamento adequado com seu dermatologista, que vai orientar quando for o momento de interromper a terapia. 

Algumas pessoas ficam com a pele irritada, apresentam coceira e descamação mesmo com poucos dias de aplicação. Nesses casos, é necessário interromper o uso imediatamente e consultar o especialista.

Cuidados durante o tratamento

Assim como a consulta inicial, o acompanhamento médico durante o tratamento é muito importante. Enquanto o retinol e o retinaldeído são tidos como cosmecêuticos, o ácido retinoico é um fármaco, e por isso só pode ser usado perante prescrição médica. 

A substância deixa a pele mais sensível e deve ser utilizada de maneira controlada. Após a aplicação, a pele se torna naturalmente mais sensível, pode ocorrer ainda a formação de manchas vermelhas e descamação do tecido.

Os sintomas descritos devem desaparecer naturalmente com o tempo, caso contrário, entre em contato com o seu dermatologista.

Durante o tratamento o uso do filtro solar se torna ainda mais importante. É preciso deixar esse tecido ainda mais protegido para assim evitar complicações. Se possível, evite expor-se muito ao sol mesmo usando protetor solar.

Caso vá depilar o rosto com cera, interrompa a aplicação do creme por pelo menos sete dias.

De qualquer forma, mantenha sua pele sempre hidratada e fique atento aos efeitos do tratamento.

Benefícios

De certa forma já falamos sobre alguns dos benefícios oferecidos pelo ácido retinoico. Contudo, vale a pena darmos a eles ainda mais destaque. Será que este tratamento pode ser útil para o seu caso? Descubra agora. Conheça os benefícios:

Ameniza estrias

O ácido retinoico contribui para renovação celular, e portanto, da pele. Com isso, dependendo de suas concentrações, pode ser usado para melhorar a aparência de estrias recém-formadas, evitando sua evolução. 

Além disso, como vimos, ele estimula a produção de colágeno e de fibras elásticas pelo tecido cutâneo, melhorando o seu aspecto geral.

Suaviza rugas

Pelo mesmo motivo anteriormente explicado, este tipo de tratamento ajuda a suavizar rugas. Contribui ainda para a prevenção do envelhecimento precoce, controlando os danos das agressões diárias a pele, em especial aqueles causados pelos raios solares.

Previne flacidez

A medida que o corpo envelhece a pele perde gordura e diminui a produção de colágeno, o que gera como consequência uma maior flacidez deste tecido. 

Incluir cremes com ácido retinoico nos cuidados diários com a pele, especialmente aqueles que combinem também vitaminas e minerais, é uma forma de adiar esse processo, resguardando a elasticidade e a firmeza do tecido.

Função antiacne

O ácido retinoico ajuda no controle da produção de sebo e da oleosidade da pele, desobstrui os poros e esfolia queratinócitos, fatores com efeito antiacne.

O roacutan, por exemplo, também é produzido com base em um derivado da vitamina A, a isotretinoina, e é um dos medicamentos mais usados no tratamento contra a acne. 

Rejuvenescimento

Além de prevenir o envelhecimento precoce, o ácido retinoico também coopera para o rejuvenescimento da pele, tornando-a mais uniforme e jovial, especialmente se utilizado acompanhado por ingredientes antioxidantes.

O contrário, a falta desta substância no tecido cutâneo, causa ressecamento da pele, queda de cabelo e pode ainda gerar sintomas em outros órgãos. 

Redução de poros

Se a sua pele é oleosa, esta certamente é uma grande vantagem. É por reduzir os poros, sem obstrui-los, claro, que o ácido retinoico contribui para uma menor produção de sebo. Além disso, a substância reduz o tempo de renovação celular, evitando o acúmulo de células mortas sobre a pele. 

Desta forma, os poros são mantidos em seu tamanho mais saudável, graças a produção de colágeno e ao controle da flacidez, ambos resultado desta substância derivada da vitamina A.

Melhora da aparência da pele 

Com tudo isso, fica fácil imaginarmos que os benefícios alcançam a pele como um todo, dando a ela uma aparência mais saudável e bonita. 

O composto previne manchas dos mais diversos tipos, suavizando áreas mais escuras, o que acompanhado pelos efeitos anteriormente citados, produz um resultado bastante satisfatório. 

Para que todos esses benefícios sejam garantidos, é indispensável o acompanhamento médico adequado. Além disso, o uso de protetor solar é crucial, bem como a hidratação adequada da pele. 

Aqueles que seguem corretamente às orientações, desfrutam de um excelente resultado.

Grávidas podem usar?

Não, o ácido retinoico pode agir na formação do feto, afetando seu crescimento normal, portanto, a substância é proibida durante a gestação. Após o nascimento do bebê, a mãe deve aguardar pelo menos 6 meses até realizar qualquer tratamento que envolva o ácido retinoico, pois a criança pode absorver quaisquer resíduos que estejam presentes no leite materno.

Possíveis Efeitos Colaterais

De acordo com a sensibilidade da sua pele, podem surgir alguns efeitos colaterais.

Inicialmente, tende a ocorrer uma piora das pústulas e da vermelhidão da pele tratada, o que tende a desaparecer naturalmente após as duas primeiras semanas de tratamento. 

Dentre as complicações mais comuns, podemos citar também o ressecamento da pele, a sua descamação e a irritação, que são resultados da agressão provocada pelo composto. 

Caso tais sintomas não desapareçam com o tempo, ou produzam acentuado desconforto, o médico deve ser consultado. 

Algumas pessoas descrevem a sensação de queimação, coceira e dermatites, que são sintomas inesperados. Para esses indivíduos a melhor opção pode ser optar pelos precursores do ativo, que tendem a ser mais toleráveis por peles sensíveis. Os produtos recomendados já foram citados aqui, o retinol ou o retinaldeído. 

De uma maneira geral, todos os que estiverem fazendo uso do ácido retinoico devem evitar ao máximo a exposição solar, usando filtro solar de FDP alto mesmo em ambientes fechados. 

Além disso, deve-se evitar o uso de loções adstringentes ou tônicas, esfoliantes e sabonetes abrasivos. Também é proibido o uso de esponjas sobre a área tratada durante o tratamento. 

Por outro lado, é fortemente recomendada a aplicação de hidratantes e cremes vitamínicos que reforçam a saúde da pele. 

Os efeitos colaterais podem indicar uma maior sensibilidade da pele ao produto ou, como em muitos casos, o uso excessivo do ácido. De qualquer forma, o dermatologista é a pessoa certa para te indicar como proceder em uma situação como esta.

Mitos e verdades


Agora vamos a algumas comuns a respeito dos tratamentos:

Ácido retinoico, retinol e retinaldeído são a mesma coisa?

O retinol e retinaldeído são derivações do ácido retinoico. Além disso, o retinaldeido se transforma em ácido retinoico quando aplicado na pele, já o retinol deve ser transformado em ácido retinoico antes do contato com a pele, principalmente em casos que o retinaldeído não foi bem aceito pelo organismo.

Quem usa produtos a base de ácido retinoico pode depilar o buço?

Não, quem costuma fazer a depilação com cera deve interromper o hábito por sete dias antes da aplicação do produto para evitar ferir a pele que está mais fina e com os poros mais expostos.

A pessoa pode tomar banho de sol?

Não, quem faz qualquer tipo de tratamento que inclua o ácido retinoico e suas derivações deve evitar completamente a exposição solar mesmo se fizer uso de protetor. Essas são substâncias fotossensibilizantes, ou seja, deixam a pele mais fina e sensível, portanto não toleram os raios solares.

O ácido retinoico pode ser usado diariamente?

Sim, no entanto, o período para início e fim do tratamento deve ser definido pelo dermatologista. É recomendado que ele seja usado somente à noite para evitar a exposição ao sol e se a pele for muito sensível, mas ainda assim tolerar o tratamento, a aplicação deve ser feita em intervalos maiores como a cada dois ou três dias.

Onde encontrar produtos com ácido retinoico?

O ideal é utilizar esse tipo de produto apenas com prescrição dermatológica. Caso tenha se interessado pela ação do ácido é importante conversar com o profissional que passará todas as informações necessárias para um resultado seguro e satisfatório.

Agende uma avaliação através do nosso WhatsApp

Dra. Juliana Toma – Médica Dermatologista pela Universidade Federal de São Paulo – EPM

Clínica no Jardim Paulista – São Paulo – SP

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521. Médica Especialista em Dermatologia pela SBD. Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês. Pós-Graduação em Pesquisa Clínica - Principles and Practice of Clinical Research - Harvard Medical School (EUA).

Deixe o seu comentário

Abrir chat
Agende sua avaliação