Cuidados com os cabelos oleosos: O que fazer?

A oleosidade é uma secreção natural que lubrifica e protege a pele do ressecamento. Sua composição consiste principalmente de ácidos graxos. A secreção exagerada do couro cabeludo resulta num aspecto engordurado ao cabelo, dando-lhe uma aparência de sujo. Ainda que a pessoa tenha lavado o cabelo no mesmo dia, os fios ficam com um visual brilhoso e pesado das madeixas, própria dos cabelos oleosos

Os principais fatores que desencadeiam a produção exagerada de oleosidade do couro cabeludo são hereditários, mas alimentação e estresse também podem estar envolvidos. Banhos muito quentes, uso frequente de secadores e exposição a poluição podem agravar o quadro. 

Para minimizar os efeitos indesejáveis dos cabelos oleosos é preciso alguns cuidados. Em primeiro lugar é necessária uma limpeza adequada.

Em alguns casos, lavar os cabelos todos os dias é recomendável, a fim de eliminar a gordura e a sujeira acumulada. Mas cuidado com o efeito inverso, pois lavando repetidas vezes o cabelo as glândulas sebáceas do couro cabeludo podem ser estimuladas ainda mais, resultando no agravamento do quadro. Alguns especialistas recomendam lavagem em dias alternados, para equilibrar o funcionamento das glândulas.

Uma coisa é fato, os cabelos oleosos são um grande incômodo, e podem levar a outros problemas como dermatites, acne, foliculite, coceira, seborreia e até queda de cabelo. É preciso cuidar. 

Seu cabelo é oleoso? Temos algumas dicas de cuidados com os cabelos oleosos preparadas especialmente para você. Além disso, vamos te ajudar a identificar se este realmente é o seu problema e falaremos sobre alguns erros que você não deve cometer. 

Sinais que indicam que o seu cabelo é oleoso

Muita oleosidade na raiz até as pontas
Sentir os fios sujos um dia depois de lavar
Aspecto pesado
Surgimento de caspa
Coceira

O que causa a oleosidade nos cabelos?

Antes de mais nada é preciso esclarecer que todo cabelo possui certo grau de oleosidade, já que este é um processo natural. O que acontece é que em algumas pessoas essa produção é exacerbada. Este problema é especialmente comum em indivíduos que possuem fios finos, curtos e lisos, embora qualquer um de nós possa ser afetado. 

Existem muitos fatores envolvidos na produção de sebo, hormônios, fatores hormonais e hábitos alimentares são ótimos exemplos. 

O estresse geralmente provoca excesso de oleosidade, e o déficit dos hormônios femininos e o excesso dos masculinos também têm ação direta na quantidade de óleos produzidos.

Quanto à alimentação, quanto mais saudável for a sua dieta, mais equilibrada será a produção. Dietas ricas em gordura e a baixa ingestão de frutas, verduras e líquidos podem levar a uma maior produção de óleo na pele e nos cabelos.

Alguns cuidados com cabelos oleoso

Evite passar a mão no cabelo 

Muitas pessoas têm o hábito de levar as mãos ao cabelo ao longo do dia, esse é um péssimo costume para quem tem cabelos oleosos, já que pode piorar o problema. 

Independente da sua mão está limpa e lavada, sua pele está repleta de óleos e gorduras naturais que podem ser passados para os fios. Para ajeitar o cabelo, use itens próprios para isso, como pente e escovas.

Use shampoos adequados

O seu shampoo pode ser um aliado na luta contra a oleosidade. Geralmente, a melhor opção para quem tem cabelos oleosos são os shampoos antirresíduos, que possuem pH alcalino, limpando profundamente os fios e removendo o excesso de óleo. 

Mesmo usando os shampoos adequados é preciso cuidado. O produto exemplificado pode acabar piorando a situação se utilizado com frequência. O ideal é que sejam intercalados diferentes compostos. 

Não aplique condicionador na raiz

O condicionar tem como principal objetivo restaurar a hidratação dos fios, por isso, possui óleos em sua fórmula. Sendo assim, para quem tem cabelos oleosos, a recomendação é aplicar o produto três dedos abaixo da raiz em direção às pontas, sempre utilizando quantidades moderadas. 

Evite lavar os fios com água muito quente

Muitas pessoas acham que é mito, mas lavar o cabelo com água muito quente pode sim piorar a oleosidade. Se você tem cabelos oleosos, prefira banhos frios ou mornos. 

A água quente causa efeito reboot, ou seja, por eliminar demasiadamente o óleo dos fios, leva a uma produção exacerbada do mesmo. Outra vantagem é que a água em temperaturas mais baixas faz com que os fios fiquem mais bonitos e brilhantes.

Evite usar secadores e chapinhas

O motivo é o mesmo explicado acima. Tanto os secadores quanto as chapinhas geram um aumento significativo da temperatura dos fios, fazendo com que o organismo passe a produzir mais óleo em uma tentativa de hidratar e proteger o couro cabeludo. 

Sempre que for usar um desses aparelhos, prefira temperaturas mais amenas, e claro, se possível, deixe os fios secarem naturalmente, essa é sempre a melhor opção.

Cuide da sua alimentação

Como vimos anteriormente, a alimentação tem tudo a ver com cabelos oleosos. O consumo de alimentos ricos em gorduras afeta diretamente a produção de óleos pelo organismo. 

Esses alimentos provocam inflamação das glândulas sebáceas levando a uma maior estimulação dessas células. Para driblar o problema, a solução é uma dieta equilibrada, rica em legumes e verduras.

Erros que você não pode cometer

Agora que você já sabe como cuidar se cabelos oleosos, falaremos sobre o que você não pode fazer, ou irá piorar a situação.

Dormir com os fios molhados

Você provavelmente já deve ter ouvido alguém dizer que dormir com os fios molhadas faz mal. Se você tem cabelos oleosos, saiba que é fato. Na verdade, ninguém devia fazer isso, já que mesmo em pessoas que possuem fios mais secos esse hábito pode ocasionar o surgimento de fungos no couro cabeludo. 

 

Essa infecção também explica o aumento da oleosidade. A inflamação das glândulas sebáceas, uma tentativa do organizamo combater seus agressores, acaba levando a um excesso de óleo. Pelo mesmo motivo, prender os fios molhados também não é recomendado. 

Em ambos os casos, recomendamos que você seque por completo o seu cabelo utilizando secares em temperatura fria antes de deitar ou de prender os fios. 

Lavar os cabelos em excesso

Este é um erro bastante comum entre as pessoas que possuem cabelos oleosos. Há uma falsa crença de que lavar o cabelo com frequência ajuda a reduzir a quantidade de óleo. Contudo, precisamos considerar o famoso efeito reboot, já mencionado anteriormente. 

Lavar demais o cabelo pode aumentar a produção de óleo, já que o organismo entende que o couro cabeludo está fragilizado e, por isso, tenta compensar.

Usar acessórios de cabelos com frequência

Os acessórios são certamente uma ótima forma de despistar o excesso de óleo no cabelo, mas são também um grande inimigo para a sua saúde. Prender os fios, usar bonés, coques ou presilhas pode sim esconder a oleosidade, mas acaba também aumentando a transpiração e abafando a oxigenação dos fios, o que leva a proliferação de fungos e bactérias. 

Com isso, como vimos anteriormente, a produção de sebo vai se tornando ainda mais intensa, ou seja, o que era para despistar visualmente o problema, o torna ainda mais grave. Tome cuidado! 

Produtos errados

O mercado de cosméticos oferece uma variação cada vez maior de produtos, sendo eles destinados para os mais diversos tipos de cabelo. Se você já sabe que o seu cabelo é oleoso, faça questão de procurar produtos recomendados para este tipo. 

Existem shampoos, condicionadores, máscaras de tratamento e finalizadores desenvolvidos justamente para cabelos que produzem muito óleo. 

Usar fórmulas qualquer, ou mesmo produtos que visam intensamente a hidratação dos fios pode deixar sua situação ainda mais incômoda.

Conclusão

Que tal um resuminho de tudo o que aprendemos até aqui?

Procure não escovar, manusear ou massagear de maneira constante seu cabelo. Além de sujá-los, esses hábitos contribuem para uma maior produção sebácea. O uso de bonés, tocas e lenços também não é recomendável. 

Lave-os uma vez por semana com xampus anti-resíduos, e procure não lavar os cabelos com a temperatura da água muito quente, pois estimula ainda mais a produção de óleo. Condicionadores e produtos leave-in devem ser utilizados da orelha para baixo, nunca em contato direto com o couro cabeludo.

Quando os cabelos estão com os aspecto muito oleoso e começam a cair muito, talvez estejam necessitando de uma hidratação, pois o ressecamento provocado por tinturas e outros produtos químicos estimulam a atuação excessiva das glândulas sebáceas. 

Hidratando o cabelo com um produto de sua confiança, tanto a oleosidade quanto a queda de cabelo diminuirão, garantindo um cabelo com aspecto mais saudável e bonito.

Principais recomendações

Use xampus específicos para o seu tipo de cabelo. Os xampus para cabelos oleosos possuem tensoativos que proporcionam uma higienização mais eficiente e são realmente indicados para os cabelos oleosos, na medida em que se encarregam de eliminar as partículas de gorduras e sujeiras. 

Mas é necessário frisar que o seu uso excessivo pode também resultar na retirada da oleosidade natural do cabelo e do couro cabeludo. Essa gordura natural retém a água da pele e lhe garante um aspecto saudável. Se há um grande perda de água, o cabelo ficará ressecado e sem vida.

O uso excessivo de condicionadores, cremes sem enxágue e máscaras podem agravar o quadro, pois podem obstruir os poros estimulando a produção de outros.

Procure alternar o uso de cremes usando óleos para cabelos, mas em quantidade muita pequena e somente nas pontas, para garantir sua hidratação, sem sobrecarregar o cabelo com produtos que a princípio deveriam hidratá-los.

Evite lavar os cabelos em temperaturas muito quentes. Lave-os em temperatura morna e soluções caseiras, como o uso de vinagre ou limão não são recomendadas, pois podem ressecar ainda mais seu cabelo, provocando oleosidade. 

Se possível dilua um pouco o xampu com água e enxágue o cabelo abundantemente, para que tanto a sujeira quanto os resíduos de limpeza sejam completamente eliminados.

Por fim, se necessário, consulte um dermatologista para que possa avaliar melhor seu couro cabeludo, receitando-lhe uma medicação adequada ao seu quadro. A oleosidade excessiva provocada por fatores genéticos necessita de um tratamento preciso e em algumas situações medicação oral.

Deixe o seu comentário