O que é foliculite: causas, sintomas e como tratar

Você já teve foliculite ou sabe o que é? Vamos explicar nesse artigo o que é foliculite, qual o tratamento, os sintomas e outras coisas que precisa saber sobre o assunto. Uma das principais causas são os pelos encravados, mas também pode acontecer devido a uma infecção por bactéria.

Não é algo grave, mas pode ser doloroso, causar incômodos e até pequenas cicatrizes, se você coçar muito. O médico geralmente receita remédios para tratar essa inflamação e em poucos dias já se nota o resultado.

Continue lendo, entenda mais sobre o tema e saiba diferenciar de outras condições para ajudar no diagnóstico.

O que é foliculite?

A foliculite é uma inflamação de pele que acontece no folículo piloso, estrutura responsável pela produção dos pelos. Trata-se de uma inflamação comum, que se cura espontaneamente ou que exige tratamentos simples em casa, sem a necessidade de um profissional, pelo menos na maioria dos casos.

Quando a inflamação é causada por bactéria aparece no local uma vermelhidão na pele e pequenas bolhas com pus, muito parecido com acne, ela causa queimação e coceira.

A foliculite é muito comum em algumas áreas como as pernas, braços, virilhas, nádegas e barba. Se você usa muita roupa apertada, raspa os pelos de forma errada e usa muita maquiagem tem mais chance de ter o problema.

Em geral, você pode utilizar um sabão anti-séptico para tratar essa inflamação dos pelos, no entanto, se esse tratamento não resolver é necessário procurar um dermatologista.

Tipos de foliculite

Existem dois tipos de foliculite, ou seja, ela pode aparecer em dois graus, a superficial ou profunda. A foliculite superficial é a mais comum, ela afeta apenas a parte superior do folículo piloso e pode ser:

  • Foliculite Estafilocócica – é o tipo mais comum, em que há vermelhidão, coceira e possivelmente pus. É causada por bactérias, principalmente a Staphylococcus aureus. 
  • Foliculite por pseudomonas – é causada por Pseudomonas aeruginosa, que se proliferam em ambientes aquáticos. As lesões são avermelhadas, com aspecto úmido e surgimento de bolhas; 
  • Pseudofoliculite da barba – ocorre após o barbear, quando os pelos se curvam e crescem por dentro da pele. 
  • Foliculite Pitirospórica – é causada por um fungo e seu aspecto é semelhante a espinhas vermelhas acompanhada de coceira. Pode aparecer no pescoço, ombros, braços, face, dorso e tórax. 

A foliculite profunda já é bem mais rara, pode se dizer que a profunda é uma complicação da foliculite superficial. Ela pode levar até o surgimento de furúnculos.

Existem algumas classificações para a foliculite profunda:

  • Sycosis barba – inflamação no folículo piloso após o ato de barbear, apresentando pequenas inflamações na região da bochecha, queixo, lábio superior e mandíbula;
  • Foliculite gram-negativo – causada por bactérias, ocorre principalmente quando o paciente usa antibióticos por longo tempo para o tratamento de acne; 
  • Furúnculos e carbúnculos – um tipo de foliculite profundo que acomete não apenas o folículo piloso, mas a glândula sebácea anexa;
  • Foliculite eosinofílica – acomete pessoas com sistema imunológico comprometido como soropositivos de HIV. É caracterizada por manchas vermelhas e feridas com pus que se alastram pela derme.

Quais as causas da foliculite? 

Como mencionado, a foliculite é uma infecção causada por bactérias, fungos ou vírus. No entanto, a causa mais comum é a bactéria Staphylococcus aureus (estafilococo). O ser humano tem folículos em todo o corpo, menos nas palmas das mãos, plantas dos pés e membranas mucosas, como os lábios.

Mostramos que a causa da infecção são as bactérias, fungos ou vírus, mas alguns hábitos podem contribuir com o problema, como:

  • Machucados causados ao se barbear;
  • Atrito provocado por roupas muito apertadas;
  • Transpiração excessiva; 
  • Condições inflamatórias da pele como acne e dermatite;
  • Curativos de plástico ou fita adesiva na pele;
  • Lesões gerais como escoriações e outros.

A foliculite aparece nas pernas muitas vezes por infecções causadas por bactérias que entram em pequenas feridas provocadas pela depilação. Nas nádegas e virilhas geralmente aparece após a pessoa frequentar locais molhados como piscinas ou banheiras de hidromassagem. 

Na barba aparece geralmente após raspar os pelos com lâmina e no couro cabeludo aparece raramente, mas quando acontece geralmente é provocada pelo desenvolvimento de fungos.

Quais são os fatores de risco para desenvolver foliculite?

Existem pessoas com fatores de risco para desenvolver o problema e por isso devem tomar bastante cuidado e se prevenir. Geralmente, apresentam alguma condição médica que reduz sua resistência à infecções, como transplante de órgãos ou HIV.

Além delas, são fatores de risco:

  • Maior predisposição a desenvolver acne ou outras dermatites e traumas na pele; 
  • Uso de antibióticos para tratar acne; 
  • Sobrepeso;
  • Exposição constante à água quente;
  • Alterações hormonais;
  • Uso prolongado de roupas que podem reter o calor.

Quais os sintomas da foliculite?

Quando a foliculite é superficial os sintomas se manifestam como pequenas bolhas vermelhas, semelhantes a espinhas. A pele fica um pouco avermelhada, inflamada e mais sensível, podendo vir acompanhada de coceira e pus. 

É muito raro o caso de complicação de foliculite, mas se isso ocorrer, a área inflamada ficará bem vermelha, surgirão lesões com pus amarelado no meio, a área ficará muito sensível e dolorida, e pode coçar bastante também.

Em alguns casos a dor é bem intensa e muitas vezes podem ficar cicatrizes, além de haver destruição do folículo piloso. Esses são os sintomas gerais que podem aparecer, se você observar algum desses problemas, procure um dermatologista para que ele analise seu caso. 

Essas são manifestações simples, mas que podem gerar complicações, por isso fique sempre atento e nunca deixe de procurar um médico.

Como é feito o tratamento?

O diagnóstico da foliculite é feito no consultório médico, por análise clínica e do histórico do paciente. Em alguns casos, para concluir o diagnóstico o dermatologista pode retirar amostras da secreção para examinar em laboratório.

Muitas vezes os casos leves se curam sozinhos, mas os persistentes ou até recorrentes precisam de um tratamento e esse tratamento vai depender do local e gravidade.

Se o problema aparecer na virilha ou nádegas, o tratamento pode ser feito com cremes para coceira e cremes antibióticos, prescritos pelo médico. 

Nas pernas, causado por bactérias, o tratamento é feito com cremes antibióticos e lavagem com sabão neutro e água morna. 

Na barba, o tratamento inclui a lavagem da área afetada com sabão neutro e aplicação de creme hidratante. 

No tratamento do couro cabeludo é usado um shampoo antifúngico e antibiótico, dependendo da causa.

Alguns cuidados devem ser tomados, como lavar a área afetada com sabão neutro ou anti-séptico, o que for receitado pelo médico, de 2 a 3 vezes ao dia e secar bem sem esfregar e com uma toalha que só você usa. É interessante também colocar uma compressa morna sobre a região para reduzir o problema de coceira ou dor.

Mesmo com o tratamento se os sintomas não melhorarem após 2 semanas é importante voltar ao dermatologista para que ele adéque o tratamento e haja uma real melhora.

Como prevenir a foliculite?

Depois do tratamento é importante estar sempre atento para prevenir. Mesmo se você nunca teve esse problema é bom prestar atenção aqui para também prevenir a foliculite. Algumas medidas simples podem ser tomadas que vão fazer uma grande diferença e evitar de forma verdadeira o problema.

A primeira coisa que deve fazer é evitar o uso de roupas muito apertadas e quentes, principalmente se você tem suor excessivo. Quando depilar, tome alguns cuidados, o homem deve usar um barbeador elétrico, mas se preferir a lâmina use uma nova todas às vezes. Tenha também cuidado para manter essa área limpa e evite raspar do lado contrário ao crescimento e também em locais com arranhões ou cortes.

A foliculite é contagiosa?

Não, a foliculite geralmente é autolimitada (ou seja, melhora em dias ou poucas semanas) e não-contagiosa, especialmente quando é causada apenas por traumatismo cutâneo. No entanto, há casos em que a foliculite pode ser transmitida de pessoa para pessoa, por exemplo, quando a lesão é causada por infecções bacterianas ou virais. 

Os modos de transmissão mais comuns para foliculite infecciosa incluem compartilhamento de lâminas de barbear, contato pele a pele e banhos públicos, banheiras de hidromassagem ou spas.

Deve notar-se que apesar da foliculite ser normalmente confundida com herpes, essas duas condições não estão de todo relacionadas.

A herpes é uma doença sexualmente transmissível que causa aglomerados de bolhas na área genital ou oral, enquanto a foliculite é caracterizada por pequenos abcessos semelhantes a espinhas que podem ocorrer em qualquer área da pele. 

A herpes também é altamente contagiosa, enquanto apenas tipos selecionados de foliculite podem ser transmitidos de pessoa para pessoa.

Se você acha que pode ser afetado ou suspeita que alguém próximo a você tenha foliculite, certifique-se de tomar medidas preventivas para evitar a propagação da doença ou contrair o problema sozinho. Existem inúmeras opções para você evitar a foliculite, começando por informar-se adequadamente sobre o que é essa condição e por que isso acontece.

A foliculite é perigosa?

A foliculite não é particularmente perigosa, geralmente desaparece sem intervenção por uma semana. Existem inúmeras opções de tratamento para diminuir a inflamação e torná-la mais rápida, incluindo compressas mornas e soluções tópicas.

A maioria dos efeitos da foliculite afeta apenas a aparência da pele e não leva a problemas internos ou complicações sérias. No entanto, há casos em que pode causar cicatrizes e perda de cabelo permanente. Isso geralmente é visto em casos em que uma parte mais profunda do folículo piloso é infectada.

Outras complicações que podem surgir quando esta condição não é bem tratada incluem a formação de cistos ou abcessos, com alguns casos exigindo drenagem cirúrgica ou remoção de cisto quando eles começam a causar dor. Também pode levar à celulite ou à infecção das camadas mais profundas da pele.

Por causa das inúmeras condições que compartilham sintomas com foliculite, a precisão é de extrema importância quando se trata de diagnóstico. Se a condição não sarar em alguns dias, considere visitar um profissional de saúde para fazer um check-up. Isso garantirá que você não seja afetado por nada mais grave.

Agende uma avaliação através do nosso WhatsApp

Dra. Juliana Toma – Médica Dermatologista pela Universidade Federal de São Paulo – EPM

Clínica no Jardim Paulista – São Paulo – SP

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521. Médica Especialista em Dermatologia pela SBD. Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês. Pós-Graduação em Pesquisa Clínica - Principles and Practice of Clinical Research - Harvard Medical School (EUA).

3 Comentários

Deixe o seu comentário.
  • Eliane da Silva ribeiro

    Estou com as costa toda tomada por ficulite avançada.estou tomando remédio antiflamatorio e tomando banho com permanganato isso ajuda? Ou devo usar outra coisa ?

  • eu tenho uma ferida igual a essa primeira foto mais faz uns 2 anos mas não dói não dá coceira e não sai pus… será que pode ser folículiti?e um pelo encravado pode ficar tempo com a ferida?

  • eu tenho uma ferida igual a essa primeira foto mais faz uns 2 anos mas não dói não dá coceira e não sai pus… será que pode ser folículiti?

Deixe o seu comentário

Abrir chat
Agende sua avaliação