Como tirar olheiras

Como tirar olheiras? Essa pergunta é feita por pessoas do mundo todo que sofrem com as manchas ao redor dos olhos. Trata-se de um problema comum, que pode ou não estar associado a alguma condição de saúde como rinite ou alergias. Na maioria dos casos, não há essa associação e as olheiras não são indicativo de nada grave. 

Leia também: Tudo o que você precisa saber sobre olheiras

Mesmo assim, as queixas são muitas, uma vez que afetam a autoestima do paciente. A boa notícia é que existe uma série de técnicas, procedimentos e hábitos que reduzem ou clareiam as olheiras. No post de hoje você conhece um pouco mais sobre essas opções. Continue lendo e saiba mais.

Tipos de olheiras

As olheiras são manchas mais evidentes na região das pálpebras, com diferentes colorações de acordo com sua natureza. A cor varia entre cinza, vermelho, castanho ou marrom, resultado do arranjo de vários fatores, como vasos sanguíneos mais evidentes, aumento do pigmento de melanina, aumento da espessura da pele, entre outros. 

Os tipos são:

Estruturais (profundas)

Esse tipo de olheira é causada pelo fato da cavidade ocular ser mais profunda, criando assim uma sombra que causa a aparência de cansaço. Com coloração cinza ou marrom, sua causa é genética. 

Pigmentadas

As olheiras pigmentadas são causadas pelo acúmulo de melanina na região inferior da pálpebra. Sua coloração é marrom ou castanha.

Vasculares

São as olheiras de cor roxa ou azul devido à retenção de líquidos ou alguma desordem no sistema circulatório. Privação do sono, cansaço e estresse são os principais catalisadores.

Sanguíneas

Possuem coloração avermelhada ou arroxeada. São resultado do acúmulo de hemoglobina nos vasos sanguíneos. Não beber água regularmente e problemas respiratórios agravam o problema. 

Mistas

São a soma de um ou mais tipos acima descritos. A coloração predominante é do tipo mais forte, inclusive o tratamento pode demandar mais de uma frente de ação. 

Design sem nome 2022 03 30T141521.940

Catalisadores

Alguns fatores funcionam como catalisadores para o surgimento e agravamento das olheiras. São eles:

privação do sono e cansaço;
alergias respiratórias;
redução dos níveis de tecido adiposo ao redor dos olhos;
anemia;
exposição solar sem proteção;
coçar ou friccionar os olhos;
alimentação pouco saudável;
desidratação;
consumo em excesso de álcool ou tabaco;
irregularidades na pigmentação;
problemas na tireóide.

Como tirar olheiras

O tratamento vai de acordo com o tipo e as causas das olheiras, visto que tratando a causa, elas tendem a desaparecer ou apresentar uma coloração próxima ao tom normal de pele. 

Vamos às técnicas, terapias e procedimentos:

Mudança de hábitos

As olheiras vasculares e sanguíneas, muitas vezes, são causadas por hábitos ruins, que ao serem deixados de lado, melhoram o aspecto das olheiras e da pele como um todo. Entre eles estão poucas horas de sono, estresse, consumo de alimentos ricos em açúcares e gordura, tabagismo e consumo de álcool. Ao se livrar deles, logo verá a melhora na pele (literalmente). 

Compressa fria

O procedimento é simples e basta colocar gelo em um pano limpo e aplicar sobre os olhos por cerca de 10 minutos. O ideal é usar de manhã e à noite.

Cremes dermocosméticos

Os dermocosméticos apresentam três frentes de ação: hidratar, reduzir o afinamento da pele e clarear a pele. 

A hidratação vai ajudar a suavizar a pele e evitar o acúmulo de gordura nas pálpebras, ideal para todos os tipos de olheiras. Em sua composição estão fármacos como glicerina, ácido hialurônico, pantenol, entre outros.

Os cremes clareadores apresentam em sua fórmula tretinoína, hidroquinona, vitaminas como C, E, K, além de outras substâncias que agem no controle da produção de melanina, responsável pela pigmentação das olheiras. 

Por fim, os cremes que previnem o afinamento a partir da nutrição e renovação celular. Entre os fármacos mais usados nesses cremes estão o retinol que estimula a produção de colágeno, reforça as células teciduais e levanta a pele.

Peeling químico

Os peelings químicos são procedimentos realizados em consultório dermatológico no intuito de renovar as células da região e em seu lugar novas sem a pigmentação surgem. São muito usados também para outros tipos de manchas de pele, como melasma e manchas de idade. 

São indicados para olheiras pigmentadas, em que há o depósito de melanina nas pálpebras inferiores. Os ácidos mais utilizados nesse procedimento são o kójico, lático mandélico e ácido glicólico em uma baixa concentração. 

Além de reduzir as manchas, o procedimento promove a renovação celular, reduz rugas, linhas de expressão, aumenta o tônus, elasticidade e brilho da pele.

Laserterapia

O laser é muito usado para o tratamento de olheiras, capaz de melhorar o aspecto de todos os tipos, de acordo com o laser usado. Os mais recomendados são o QS-Alexandrite, QS-Ruby, Nd:YAG, Q Switched e luz pulsada, pois podem ser usados na região próxima aos olhos. 

Em geral, os aparelhos emitem feixes de luz (infravermelhos ou ultravioletas) que criam ondas aplicadas sobre a pele. Sua intenção é suavizar as camadas pigmentadas, de modo a corrigir as irregularidades. 

É um procedimento pouco invasivo, que deve ser realizado em consultório dermatológico e por profissional capacitado para melhores resultados. Os efeitos colaterais são mínimos quando o paciente realiza todas as recomendações. 

Microagulhamento

O microagulhamento é uma técnica em que o dermatologista utiliza um aparelho composto de micro cânulas ou pequenas agulhas com fármacos depositados diretamente nas camadas cutâneas, de modo a estimular o clareamento dos pigmentos escuros. 

Trata-se de uma técnica indolor, pouco invasiva e que apresenta resultados poucos dias após a primeira sessão. Os efeitos colaterais são mínimos, incluindo vermelhidão e inchaço, que desaparecem em pouco tempo.

Preenchimento com ácido hialurônico

Esse procedimento visa tratar as olheiras profundas, pois proporciona mais volume à região, reduzindo a sombra projetada no canal lacrimal. O ácido hialurônico é uma substância produzida pelo organismo humano, que com o passar do tempo tem sua produção reduzida por conta do envelhecimento. 

A técnica visa a aplicação do ácido diretamente na pálpebra inferior, por meio de agulhas ou cânulas. A quantidade é bem pequena, feita por meio de um planejamento para evitar qualquer efeito colateral. Vale ressaltar que assim como os demais procedimentos, deve ser feito por profissionais e em ambiente adequado. 

A partir da primeira sessão já é possível notar os resultados, que perduram por até 24 meses de acordo com a resposta do organismo. Durante esse período, podem ser necessárias manutenções para manter o volume ideal. 

 

Saiba mais sobre as principais causas de olheiras e como evitá-las. 

Agende uma consulta através do nosso WhatsApp

Dra. Juliana Toma – Médica Dermatologista pela Universidade Federal de São Paulo – EPM

Clínica no Jardim Paulista – São Paulo – SP

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521. Médica Especialista em Dermatologia pela SBD. Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês. Pós-Graduação em Pesquisa Clínica - Principles and Practice of Clinical Research - Harvard Medical School (EUA).

Deixe o seu comentário