Tire suas dúvidas sobre a caspa

O que você já sabe sobre a caspa? Diferente do que dizem por aí, o problema não é causado por falta de higiene. A caspa é, na verdade, uma doença inflamatória provocada pelo desequilíbrio na quantidade de fungos e bactérias que habitam o couro cabeludo.

Além da cabeça, o distúrbio pode afetar cílios, sobrancelhas e até a barba, sendo comum em zonas ricas em folículos pilosos e glândulas sebáceas. 

Não importa onde está localizada, a caspa acaba causando muitos transtornos, especialmente estéticos. Ainda não se sabe exatamente o que leva ao quadro, dentre suas possíveis causas, alterações hormonais, estresse e mudanças na temperatura. Alguns alimentos gordurosos também podem ter relação com o problema. 

Apesar de não haver cura definitiva para a caspa, existem diversos tratamentos de controle eficazes disponíveis no mercado. 

Tem alguma dúvida sobre este tema? Neste artigo discutiremos tudo o que você precisa saber sobre a caspa e ainda desmistificamos informações populares.

A doença é famosa por seus sintomas, em especial pela descamação e prurido provocados.

O que é Caspa?

A caspa é um distúrbio inflamatório crônico de pele que atinge principalmente o couro cabeludo. A doença é famosa por seus sintomas, em especial pela descamação e prurido provocados. 

O quadro é um tipo de dermatite bastante comum, e atinge mais de 2 milhões de pessoas no país, segundo dados divulgados pelo Hospital Israelita Albert Einstein. A doença não é contagiosa e pode afetar homens e mulheres de todas as idades. 

Geralmente, o problema tem relação com alterações na velocidade com que as células do couro cabeludo são renovadas.

O aumento dessa renovação gera irritações no couro cabeludo e como consequência, há formação de pequenos flocos brancos, o que chamamos de caspa. 

Acredita-se que todo esse processo tenha relação com um desequilíbrio da flora bacteriana e fúngica sobre a pele. 

Como vimos, nem todos os mecanismos responsáveis pela doença foram compreendidos e existem diversas causas possíveis para o distúrbio.

Caspa e Dermatite Seborreica são a mesma coisa?

Acabamos de definir o que é caspa, chegou a hora de tirarmos uma dúvida bastante popular: existe diferença entre caspa e dermatite seborreica? 

Você provavelmente encontrará diferentes respostas para essa pergunta. Muitos consideram a caspa um sintoma da dermatite seborreica, outros consideram o distúrbio um tipo mais brando da doença. Além disso, tem quem diga serem duas coisas totalmente diferentes.

Como vimos anteriormente, a caspa é caracterizada pela descamação da pele, especialmente do couro cabeludo. Tal quadro é também a descrição exata da dermatite seborreica, que pode vir ainda acompanhada por sintomas mais graves. 

Ao analisarmos a fundo as causas, os sintomas e até mesmo os tratamentos para cada um dos casos, encontraremos grande similaridade. 

Por isso, consideramos que sim, a caspa e a dermatite seborreica são a mesma coisa. No entanto, a dermatite pode vir acompanhada de outros fatores, geralmente um pouco mais complexos. 

Como identificar

A patologia é marcada pela inflamação do couro cabeludo, o que acaba levando a sua descamação. Contudo, vale ainda ressaltar seus demais sintomas, que incluem além de coceira, regiões avermelhadas e aumento da oleosidade da pele. 

Diante de tais alterações, é recomendada a consulta com dermatologista, profissional experiente e capaz de diferenciar esse de outros tipos de problemas. 

Apesar de ser mais comum no couro cabeludo, a caspa pode surgir nas sobrancelhas, no rosto, na barba, no nariz, na orelha e em regiões de dobra. Vale ficar atento. 

O especialista avaliará o caso em busca de identificar o problema e suas causas, estando apto a indicar o melhor tratamento. 

Causas

Sabe-se que a doença tem relação com um desequilíbrio da flora bacteriana e da população de fungos que habitam as regiões atingidas. A presença destes microorganismos é fisiológica e não acarreta nenhum dano a saúde. 

No entanto, situações mais graves já foram descritas, como caspas desenvolvidas devido à infecção por fungos dermatófitos ou mesmo relacionadas a psoríase, o que chamamos de eczema seborreica. 

Em geral, as causas mais comuns incluem:

O problema acontece quando por algum motivo essas populações crescem além do esperado, desregulando a renovação celular e causando a formação de caspas. 

Embora se trate de uma doença muito popular e bastante conhecida, ainda não se sabe exatamente quais mecanismos estão envolvidos em sua fisiopatologia. Até por isso, ainda não há tratamento 100% efetivo para doença e sua cura ainda não foi alcançada. 

Até então, foi comprovada a presença de um fator hereditário relacionado, já que geralmente novos diagnósticos surgem em famílias que já vivenciam outros casos. 

Além disso, sabe que estresse, alterações hormonais e infecções podem dar origem ao quadro. Indivíduos que sofrem com outras patologias mais graves também apresentam maior chance de desenvolver este tipo de problema. 

Os casos vão dos mais simples aos mais complexos. Muitas das vezes a caspa tem relação com o simples ressecamento do couro cabeludo, ocasionado pelo uso de shampoos inadequados ou mesmo pelo excesso de lavagens. A condição tende a piorar também durante o inverno, devido a uma menor incidência de luz sobre a pele, o que intensifica seus sintomas.

Estresse
Clima seco
Mudanças bruscas de temperatura
Alterações hormonais
Infecções

Tratamentos

Neste momento, apresentaremos algumas opções simples, mas muito eficazes para controlar a caspa.

Lave o cabelo na frequência correta 

Apesar de não ter relação direta com a higiene, alguns hábitos tendem a aumentar o risco de caspa. A lavagem de cabelo é um ótimo exemplo, é preciso encontrar equilíbrio.

Lave o cabelo um dia sim e outro não, aplique o shampoo adequado para o seu tipo de cabelo e deixo-o agir por alguns minutinhos. Enquanto aguarda o produto fazer efeito, faça massagens bem leves no couro cabeludo, com cautela para não favorecer ainda mais descamações. 

Evite banhos muito quentes, água morna a fria é o ideal, pois ajuda a evitar o excesso de oleosidade.

Seque bem o cabelo

Ambientes molhados favorecem o aparecimento de fungos e outros microorganismos, o que aumentaria ainda mais a descamação da pele 

Sendo assim, procure secar bem o cabelo após cada lavagem. Além disso, prefira secadores em temperaturas frias, já que o calor favorece a produção de óleo.

Cuidado com excesso de química

Esta é uma recomendação muito importante, em especial para as mulheres que geralmente são frequentadoras assíduas de salões de beleza. Avalie com cautela a escolha de cada produto, seja para coloração ou alisamento. 

Alguns cosméticos agridem fortemente o couro cabeludo, acelerando a troca de pele e intensificando a formação de caspa.

Use shampoo anti-caspa

Hoje em dia, existem muitas opções de shampoos anti-caspa no mercado. Pergunte ao dermatologista da sua confiança qual deles é a melhor escolha para você. 

Estes produtos são de grande valia no processo de controle da caspa. Além disso, costumam conter antifúngicos como o cetaconazol, ajudando também no combate contra possíveis infecções.

Trate outros problemas de saúde

Em alguns casos a caspa pode ter relação com outras comorbidades, como a psoríase, já citada como exemplo. Diversos outros quadros podem estar relacionados, sendo assim, é crucial o tratamento das demais doenças associadas para um controle efetivo da caspa. 

Veja abaixo quais doenças podem ter relação com este tipo de problema. 

  • Psoríase
  • Disfunções hormonais
  • Obesidade
  • Artrite psoriásica
  • Estresse
  • Diabetes
  • Transtornos de Ansiedade 
  • Depressão 

Ao regular tais condições, naturalmente haverá uma melhora no controle da dermatite, colaborando para o seu desaparecimento. 

Tratamento medicamentoso

Quando nenhum dos tratamentos anteriores é suficiente para contornar o problema, o uso de medicamentos pode ser uma boa opção. O tratamento medicamentoso deve ser realizado estritamente sobre prescrição médica, já que a automedicação oferece consideráveis riscos à saúde. 

O dermatologista é a pessoa certa para indicar quais são os melhores remédios para o seu caso. Em geral, são utilizados antifúngicos orais e anti-inflamatórios, que contribuem consideravelmente para controle do distúrbio.

Como prevenir a Caspa?

Assim como não há cura definitiva para a caspa, também não há uma maneira 100% efetiva de prevenir o distúrbio. Além disso, algumas pessoas já possuem geneticamente uma predisposição ao problema. 

No entanto, existem excelentes formas de evitar a potencialização desta disposição ou mesmo afastar os fatores que favorecem o seu aparecimento.

Abaixo listamos algumas mudanças simples que você pode começar a praticar ainda hoje. 

  • Lave bem os cabelos 
  • Prefira banhos mornos a frios 
  • Retire bem o shampoo e o condicionar enquanto lava os cabelos
  • Evite passar condicionador no couro cabeludo
  • Enxugue-se bem antes de se vestir
  • Livre-se da umidade 
  • Utilize produtos específicos para o seu tipo de cabelo e pele
  • Evite alimentos gordurosos
  • Não exagere na bebida alcoólica
  • Prefira roupas confortáveis que não retenham o calor 
  • Cuidado com acessórios que abafem o couro cabeludo (gorros, bonés e chapéu)
  • Tire tempo para o lazer e evite o estresse físico e mental

Mitos e Verdades

Ainda tem alguma dúvida sobre caspa? Para fechar o tema com chave de ouro, discutiremos alguns mitos e verdades popularmente conhecidos.

Quem tem caspa não pode usar boné

Mito. 

Apesar de favorecer a umidade por isso estar associado ao surgimento da caspa, o boné não é proibido. O acessório pode ser usado por períodos curtos, sempre com o cabelo bem seco. 

Tratamentos químicos favorecem o aparecimento de caspa

Verdade.

Como vimos anteriormente, a química acarreta danos ao tecido do couro cabeludo, o que pode resultar em descamação da pele da região. 

Deve-se lavar o cabelo todo dia 

Mito. 

O ideal é fazer a lavagem a cada dois dias. O shampoo tira a secreção oleosa dos cabelos, deixando-os menos protegidos.

Secador quente prejudica o couro cabeludo

Verdade. 

A utilização frequente de secadores quentes eleva a concentração de óleo no couro cabeludo, o que também é prejudicial à saúde da pele. E tem mais, quando mais quente, pior.

Alguns tipos de cabelos favorecem a caspa

Mito. 

O risco de caspa não tem nenhuma relação com o tipo de cabelo, não importa se os fios são lisos, ondulados ou cacheados.

A dermatite seborreica pode causar a queda de cabelo

Verdade.

Pode sim, haver uma intensificação da queda de cabelo, em especial devido ao processo inflamatório caraterístico do quadro.

A caspa é causada por má higienização do cabelo

Mito. 

Não há relação direta entre falta de higienização e a caspa. O problema se desenvolve em áreas de maior oleosidade, e apesar da má limpeza agravar o quadro, ela não pode ser tida como causa.

O estresse pode causar caspa

Verdade.

O estresse gera alterações sistêmicas no corpo, o que pode acarretar, dentre outras coisas, desequilíbrios na região do couro cabeludo.

A caspa só acontece no cabelo

Mito.

O distúrbio pode acometer ainda sobrancelha, barba, nariz, ouvido e zonas de dobras, como axila e virilha, por exemplo.

Não há cura para caspa 

Verdade. 

Apesar dos muitos tratamentos de controle para caspa, infelizmente, ainda não há cura para o problema.

Lavar o cabelo todo dia pode dar caspa

Mito. 

Lavar o cabelo todo dia realmente não é o ideal. No entanto, não há relação entre este hábito e a descamação do couro cabeludo. 

Ocorre mais nos homens do que nas mulheres

Verdade. 

Pouco sabemos sobre as estatísticas da caspa. Contudo, mesmo esses poucos dados comprovam uma maior prevalência da doença em homens. Tal fato é explicado pela maior produção de testosterona, hormônio que estimula a ação das glândulas sebáceas.

Deve-se esfregar a cabeça para remover a caspa

Mito. 

Não é recomendado esfregar o couro cabeludo durante o banho, pois isso pode acabar irritando ainda mais pele e piorando a caspa.

O distúrbio tende a piorar no inverno

Verdade. 

O frio leva a uma maior ação das glândulas sebáceas, além disso, os banhos geralmente se tornam ainda mais quentes, alterando a oleosidade da pele.

O uso constante de shampoos anticaspa faz mal 

Mito. 

Escolhendo a opção correta para o seu caso e optando por um produto de qualidade, não há riscos de danos aos fios, nem mesmo de ressecamento.

A caspa tem origem genética

Verdade.

Existem sim, fatores hereditários relacionados. No entanto, isso não quer dizer que por ter alguém na família com a doença você a desenvolverá. 

Fique atento aos sintomas da caspa e se necessário procure ajuda médica. O distúrbio é bastante incômodo e tende a piora quando não tratado.

Agende uma avaliação através do nosso WhatsApp

Dra. Juliana Toma – Médica Dermatologista pela Universidade Federal de São Paulo – EPM

Clínica no Jardim Paulista – São Paulo – SP

Deixe o seu comentário

Abrir chat
Agende sua avaliação