Carocinhos na pele? Saiba o que pode ser

Em geral, os carocinhos na pele surgem tanto em adultos, quanto em crianças e dificilmente indicam alguma doença grave. Os pequenos caroços ou bolinhas no corpo podem ser sinal de queratose pilar, alergias, foliculite, lipoma ou ainda intolerância ao glúten, sobretudo se acompanhados de coceira e problemas gástricos. 

Na presença de quaisquer caroços na pele, é fundamental procurar um dermatologista, que vai avaliar as características dos carocinhos, identificar o local que surgiram, avaliar sua natureza em relação aos demais sintomas e assim conduzir o diagnóstico e o tratamento assertivo. 

Continue lendo o post e conheça as principais causas de carocinhos na pele.

imagem 2022 06 08T145738.664

Queratose pilar

A queratose pilar é uma alteração de pele em pequenos caroços ou bolinhas de coloração avermelhada/esbranquiçada que aparecem na bochecha, braços, pernas, dorso e nádegas. Essas lesões não coçam, não doem, não estão associadas a outros sintomas, nem representam risco grave à saúde. 

As causas ainda não são claras, porém acredita-se que estejam relacionadas a produção em excesso de queratina na pele, que acaba acumulando nos folículos pilosos e leva ao aparecimento dos pequenos caroços. 

Alguns fatores funcionam como catalisadores, como pele ressecada, roupas muito justas, doenças hereditárias e dermatites não tratadas. Além disso, portadores de algumas doenças alérgicas como rinite e asma apresentam maior disposição para desenvolver a queratose pilar. 

Essas pessoas podem prevenir o aparecimento das lesões mantendo a pele hidratada, evitando banhos quentes e com alimentação balanceada, o que inclui alimentos ricos em vitamina A – cenoura, tomate, couve, peixes, fígado, gema de ovo, entre outros. 

Nem sempre quando os caroços de queratose pilar já apareceram é necessário tratamento. Quando há grande desconforto estético, o dermatologista pode indicar cremes contendo ácido salicílico ou ureia para ajudar na remoção das células mortas da pele e hidratá-la, ou cremes com ácido retinoico ou Vitamina A para atenuar os sintomas.

Foliculite

A foliculite é uma infecção de pele que começa no folículo piloso, caracterizada por pequenos caroços, geralmente vermelhos ou amarelos (quando há a presença de pus). A pele ao redor fica avermelhada e o paciente sofre com maior sensibilidade e coceira na região. 

A infecção é causada por bactérias, fungos ou por vírus, que se instalam nos pelos encravados. A maioria dos casos de foliculite é superficial, com sintomas moderados como dor e prurido, no entanto, em casos mais graves ela se torna profunda, quando a infecção se expande por outras áreas, como lábios (sicose de barba) ou quando se torna furúnculos e carbúnculos.  

Qualquer pessoa pode desenvolver foliculite, no entanto, determinados fatores fazem com que algumas pessoas sejam mais suscetíveis à condição. Entre eles:

  • pacientes de doenças autoimunes;
  • pessoas que já apresentam um quadro de acne;
  • pessoas com dermatites;
  • pessoas acima do peso;
  • uso frequente de luvas ou botas de borracha;
  • uso de roupas muito apertadas;
  • pacientes que fazem uso de medicamentos contendo corticoides ou antibióticos, entre outros.

Geralmente, a inflamação se cura sozinha e os caroços desaparecem, deixando uma pequena cicatriz que some com o tempo. Em casos mais graves e recorrentes exigem uma atenção maior, visto que podem levar a perda de pele ou cicatrizes maiores. 

O tratamento inclui antibiótico tópico para eliminar a infecção bacteriana, anti fúngicos, anti-histamínicos e drenagem da infecção com uma pequena incisão. 

Miliária

A miliária, também chamada de brotoeja, é comum em bebês, mas também pode surgir na vida adulta. Trata-se de uma inflamação aguda causada pela obstrução dos ductos das glândulas sudoríparas. 

Essa obstrução impede que o suor seja expelido e chegue até a pele, provocando pequenas lesões, caroços avermelhados que surgem principalmente no dorso, costas, pescoço, axilas e demais dobras da pele. A aparência das lesões muda conforme a profundidade que ocorreu a obstrução do ducto. Os caroços podem ser pequenos, esbranquiçados ou avermelhados. 

Determinados agentes funcionam como catalisadores da miliária, como ambientes quentes e úmidos, roupas em excesso ou muito quentes e febre alta. Por isso, o uso de roupas frescas e arejadas e manter a pele hidratada funciona para a prevenção da miliária. 

O diagnóstico é feito a partir da análise clínica das lesões. O tratamento vai depender da gravidade, idade e local em que se instalaram. Em bebês, os cuidados são apenas manter a pele hidratada e fresca para aliviar o desconforto, com roupas leves, ambiente ventilado e banhos frequentes. 

Casos mais graves em que há infecções secundárias, o dermatologista indica medicação tópica com cremes pomadas cuja composição inclui corticoides e antibióticos, por exemplo.

Alergia na pele

A alergia na pele pode causar caroços de diferentes tamanhos, acompanhada de coceira e formação de crostas e até feridas, dependendo do grau de exposição do paciente ou por conta da coceira. 

Existem diferentes causas que levam as alergias, que são uma resposta do organismo para aquilo que ele considera um agente invasor. Entre as causas estão determinados alimentos, pelos de animais, tecidos, produtos cosméticos, bijuteria, ácaros, produtos de limpeza, entre outros. 

O primeiro passo aqui está em identificar o causador da alergia e interromper seu contato. Se ainda assim persistir, o médico irá receitar anti-histamínicos, inclusive injetáveis dependendo da gravidade.

Intolerância ao glúten 

Um dos sintomas de intolerância ao glúten é o surgimento de pequenos caroços na pele. Essa alteração se assemelha a pequenas bolinhas, mas que coçam bastante, acompanhadas de uma sensação de queimação. Em alguns casos essas bolhas descamam. 

O tratamento inclui pomadas e cremes para aliviar os sintomas. O médico também vai receitar uma mudança na alimentação, de modo evitar ao máximo alimentos que contenham glúten em sua composição. 

Lipoma

O lipoma é um caroço maior (cisto) de natureza benigna que surge sob a pele. Esse nódulo é formado principalmente por células de gordura e tecido fibroso e possui uma forma arredondada. 

Costuma aparecer em qualquer lugar do corpo como um pequeno caroço que ganha tamanho lentamente, chegando a 10 cm. É mais comum no dorso, costas, pescoço, braços, axila, pernas e coxas. Em casos mais raros, surgem nos órgãos e ossos. 

A causa ainda é incerta, mas acredita-se que há determinados fatores que contribuem para seu aparecimento, como histórico de família, doença de Madelung, e as síndromes de Gardner e Cowden. 

O diagnóstico de lipoma é feito pelo dermatologista que avalia clinicamente a natureza do cisto. Se for necessário pode solicitar o exame clínico e biópsia. 

Normalmente, o caroço some com o tempo, mas se houver grande desconforto estético é possível removê-lo cirurgicamente. Trata-se de um procedimento relativamente simples, feito em consultório dermatológico com anestesia local. Dura poucos minutos e o paciente pode retornar às suas atividades rotineiras no mesmo dia. 

Independente do aparecimento dos caroços e seus sintomas associados é importante consultar o dermatologista. Ele é o profissional mais indicado para conduzir o diagnóstico, indicar o tratamento e sanar todas as dúvidas a respeito dos sintomas. 

Agende uma consulta através do nosso WhatsApp

Dra. Juliana Toma – Médica Dermatologista pela Universidade Federal de São Paulo – EPM

Clínica no Jardim Paulista – São Paulo – SP

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521. Médica Especialista em Dermatologia pela SBD. Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês. Pós-Graduação em Pesquisa Clínica - Principles and Practice of Clinical Research - Harvard Medical School (EUA).

Deixe o seu comentário