Filtros solares combatem sinais do envelhecimento

Você sabia que os filtros solares combatem sinais do envelhecimento? A pergunta que muitas pessoas fazem para seus dermatologistas é como combater o envelhecimento da pele. As mulheres, principalmente, tem uma grande preocupação com a pele e o envelhecimento, é difícil encontrar uma mulher que não se preocupa com sua aparência, em especialmente a do rosto. 

Se você é uma dessas pessoas, temos uma boa notícia: é possível evitar os sinais do envelhecimento usando filtro solar

Já foi comprovado e quem frequenta o dermatologista pode afirmar, o filtro solar é recomendadíssimo, e é necessário não apenas para prevenir o envelhecimento da pele, mas também outros problemas que acometem esse, que é o maior órgão do corpo. 

Não existe uma fórmula ou tratamento milagroso, não existe a água da juventude, o que existe é o filtro solar.

O filtro solar já foi testado e pesquisado, e está comprovado que realmente funciona para combater os sinais de envelhecimento. 

Um estudo realizado na Austrália reuniu mais de 900 pessoas para uma pesquisa, durante 4 anos e meio uma parte das pessoas fizeram uso diário do filtro solar. As pessoas que usaram o protetor diariamente apresentaram 24% menos sinais de foto envelhecimento do que as pessoas que não fizeram uso. Ou seja, você não pode passar filtro solar apenas quando frequenta piscinas e praia, é preciso passar todos os dias. 

Depois dessa pesquisa, poderíamos terminar nosso artigo aqui, mostrando que o filtro solar realmente combate os sinais de envelhecimento e é fundamental para todas as pessoas. Mas não podemos ficar apenas na pesquisa, para te ajudar ainda mais vamos falar um pouco sobre o filtro solar e mostrar qual o mais indicado para cada pessoa e tipo de pele.

Antes, gostaríamos de esclarecer alguns pontos importantes. 

Muitas pessoas acabam achando que o sol é o inimigo. De fato, a exposição solar sem proteção é um risco, e além de acelerar o envelhecimento da pele, a longo prazo, pode causar câncer de pele, um dos mais comuns entre os brasileiros. 

Contudo, o sol não é o vilão, pelo menos, não definitivamente. A exposição se torna prejudicial em certas condições: se a intensidade dos raios solares for elevada e se o indivíduo se expõe sem proteção e em excesso.

Em geral, o sol só funciona como um catalisador de problemas como câncer, doenças fotossensibilizantes e envelhecimento, se a pele do indivíduo já estiver fragilizada por outros fatores. Na quantidade adequada, o contato com o sol pode trazer diversos benefícios. 

Que tal alguns exemplos? 

  • Aumento da produção de Vitamina D
  • Melhora na qualidade do sono
  • Proteção contra infecções
  • Proteção contra radiação perigosa
  • Fortalecimento do sistema imunológico 

Raios solares podem danificar o DNA celular da pele?

Esta é uma dúvida comum quando se fala sobre os danos que a exposição solar em excesso podem causar. De fato,  quando os cuidados necessários não são tomados, os raios solares trarão consequências significativamente negativas.

Em um plano maior, os sintomas dessas complicações são o envelhecimento celular precoce, que pode ser percebido pelo ressecamento da pele, perda da viscosidade, queimaduras ou, a longo prazo, por doenças mais sérias, como o câncer de pele. 

Mas será que isso tem a ver com uma mudança no DNA celular?

Os raios UVA e UVB podem sim acarretar danos ao DNA cutâneo, mas isso irá depender de uma série de fatores, como características da exposição, qualidade de vida, estado emocional etc. 

Como vimos anteriormente, o sol só se torna vilão quando nos expomos a ele de forma indevida. Com a proteção adequada, a exposição solar pode ser benéfica a sua pele e ao seu corpo de maneira geral. 

Excesso de sol antecipa o envelhecimento da pele

Se já afirmamos que os filtros solares combatem sinais do envelhecimento, há de se pensar que a exposição aos raios UVA e UVB, se de forma exacerbada, pode antecipar o envelhecimento da pele. Chegou o momento de entendermos um pouco melhor essa relação. 

Dr. Paulo Andrade, do Grupo Hospitalar Conceição (GHC), explica que  “O sol vai lentamente alterando o tecido cutâneo e com o passar do tempo – na altura da meia idade – aparecem os sinais de envelhecimento. A pele sofre certa atrofia principalmente nas áreas expostas ao sol”.

O problema torna-se ainda mais evidente em pessoas de pele mais clara, já que elas são mais suscetíveis a um envelhecimento precoce. Isso porque, quando o assunto é a exposição solar, a melanina serve como uma proteção natural, ou seja, quanto mais melanina, como é o caso das pessoas de pele escura, mais protegidos contra os danos do sol.

Você já deve ter se perguntado, por exemplo, porque pessoas negras parecem envelhecer de maneira tardia, essa é uma boa explicação, embora outros fatores também interfiram nessa diferença. 

Outra situação que deixa clara a influência do sol no envelhecimento da pele é o fato de que as áreas do corpo mais expostas ao sol tendem a envelhecer mais rápido. Faça você mesmo uma comparação entre a pele do seu braço e rosto com a da região abdominal.  

Uma pesquisa publicada pelo jornal Clinical, Cosmetic and Investigational Dermatology demonstrou bem isso. O estudo analisou cerca de 300 mulheres, com idades entre 30 e 78 anos. 

Foi feita uma divisão em dois grupos, onde um deles costumava expor-se ao sol por longos períodos e o outro evitava ao máximo a exposição solar. Foram identificadas diferenças significativas a respeito de como se desenrolou o processo de envelhecimento da pele em cada grupo. 

A conclusão dos estudos foi que a longa exposição aos raios UV pode hiperpigmentar a pele, reduzir sua elasticidade e também degradar sua textura. 

Além disso, percebeu-se que os efeitos da exposição ao sol aumentam com a idade: foram detectadas significantes diferenças nas rugas e na textura da pele nas mulheres com mais de 50 anos, fazendo com que elas aparentassem ser muito mais velhas. 

Para se ter ideia da influência do sol no envelhecimento, a pesquisa citada demonstrou que as mulheres que apresentavam 82% e 78% de danos pareciam ter 3 anos a mais e 3 anos a menos, respectivamente.

Richard Warren, consultor em dermatologia da University of Manchester, explica: “É difícil distinguir o que é um envelhecimento natural e o que não é. Mas é fato que usuários de protetor solar irão não apenas diminuir os efeitos do sol, como também evitar o câncer de pele”.

Quem deve usar filtro solar e quando começar

Não existe época para começar a usar o filtro solar, existem protetores para todas as idades, ou seja, não importa a sua idade, todos precisam passar protetor solar. Até porque, depois que você já tem mais idade e já demonstra os sinais de envelhecimento, o protetor não vai diminuir, ele apenas vai prevenir mais.

O uso do filtro solar é indicado para todas as pessoas e todas as idades, o interessante é consultar o dermatologista para saber qual o protetor ideal para sua idade, já que existe um protetor específico para crianças, jovens e idosos. Cada um deles vai prevenir o envelhecimento de uma forma, por isso, você precisa consultar o médico para saber qual o mais indicado para você nessa fase da vida.

Além disso, alguns protetores normais podem ser prejudiciais às crianças e você precisa ficar atento. No caso de bebês, não é indicado passar o filtro, até porque na maioria das vezes eles estão protegidos do sol por mantas, capas e outras coisas. 

Mas assim que seu bebê já estiver um pouco maior procure o pediatra e pergunte quando pode começar a passar, principalmente se você vai frequentar lugares com sol intenso.

A pesquisa feita na Austrália mostrou que o uso diário de um bom filtro solar vai prevenir manchas, rugas e pele flácida. Por isso, não espere aparecer nenhuma dessas coisas, comece a usar o filtro solar para conseguir prevenir o envelhecimento precoce.

Tipos de protetor para seu rosto

O indicado é conversar com seu dermatologista e tentar encontrar o protetor ideal para você, cada pessoa tem um tipo de pele e isso terá influência na hora de escolher o produto. Além disso, você também deve prestar atenção na cor da sua pele e na sua idade, existem protetores indicados para pele mais madura, por exemplo. Enfim, não deixe de conversar com o seu médico.

Vamos mostrar aqui alguns tipos de filtro solar e para que tipo de pele são indicados, depois de conferir aqui é só conversar com seu dermatologista e escolher a melhor marca para você.

Para pele normal – Uma pele normal tem um nível de oleosidade e ressecamento controlado, o melhor filtro solar para esse tipo de pele é a loção, sérum ou spray, eles são mais resistentes ao contato com a água e o suor.

Para a pele seca – O ideal para esse tipo de pele é o protetor em creme, ele vai ajudar a hidratar a pele. A pele seca precisa de muita atenção, pois tem maior tendência para o envelhecimento.

Para pele oleosa – Se você tem a pele oleosa o melhor protetor solar é o gel-creme, mousse ou sérum. Eles são mais leves e não deixam a pele obstruída ou brilhosa.

Para pele sensível – As peles sensíveis correspondem a qualquer agressão exagerada, ficam vermelhas e manchadas com facilidade. Nesse caso você precisa conversar com seu dermatologista para saber qual a marca mais indicada e qual apresenta menor agressão, normalmente os mais indicados são o gel-creme e loções.

Você também deve prestar atenção no FPS do protetor, dependendo do seu tom de pele o fator do filtro solar vai variar, por exemplo, se sua pele é muito clara o melhor é usar proteção solar 60 ou 70, principalmente se tem muita exposição ao sol. As peles muito claras não ficam bronzeadas e sim vermelhas, e você deve evitar isso.

Em caso de peles claras, mas que se bronzeiam um pouco o mais indicado é o filtro solar com no mínimo FPS 50. Para as morenas claras o indicado é usar um protetor com FPS maior que 30, o mais indicado mesmo é 45 e para a pele morena a regra não muda. Se sua pele é cor de jambo o recomendado é usar um FPS 30 e as mulheres mulatas e negras já podem usar o 15.

Você já deve saber que as pessoas com pele negra não têm tanto problema com o envelhecimento da pele. A idade custa a aparecer, assim como as rugas e sinais de envelhecimento, mas mesmo assim é importante se proteger do sol, até porque a proteção não é apenas contra o envelhecimento precoce, mas também para prevenir outros problemas como o risco de câncer, como vimos ao longo deste artigo.

Agora que você já tem bastante conhecimento sobre o filtro solar e sabe que ele combate os sinais de envelhecimento procure seu dermatologista e peça indicação do melhor protetor para você, existem muitas marcas e todas muito boas, é só você encontrar a sua e começar a passar todos os dias.

 

Agende uma avaliação através do nosso WhatsApp

Dra. Juliana Toma – Médica Dermatologista pela Universidade Federal de São Paulo – EPM

Clínica no Jardim Paulista – São Paulo – SP

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521. Médica Especialista em Dermatologia pela SBD. Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês. Pós-Graduação em Pesquisa Clínica - Principles and Practice of Clinical Research - Harvard Medical School (EUA).

Deixe o seu comentário

Abrir chat
Agende sua avaliação