O Óleo de Rosa Mosqueta melhora as olheiras?

O óleo de mosqueta não é uma unanimidade entre a comunidade dermatológica. Muitos médicos não recomendam a solução para tratamentos para olheiras, manchas ou outros problemas de pele, enquanto vemos várias informações na internet que promovem o produto. 

Basta digitar nos buscadores, que você se depara com títulos como: “x benefícios do óleo de rosa mosqueta”, “óleo de rosa mosqueta tem sua eficácia comprovada em estudo”. Esses últimos são os mais perigosos, pois ainda não há estudos relevantes capazes de considerar a substância como efetiva para a melhora no quadro das olheiras. 

Existem sim, estudos relacionados às propriedades curativas para o uso em feridas abertas, como o caso do documento publicado na Revista Brasileira de Enfermagem: A Rosa Mosqueta no tratamento de feridas abertas: uma revisão. 

A pesquisa foi feita com base em mais de 20 anos de artigos científicos publicados, os quais demonstram os benefícios do óleo de rosa mosqueta no tratamento de feridas abertas. O objetivo foi reunir informações sobre as aplicações clínicas do extrato e dados comprovados de sua composição. 

Foi constatado o alto poder de cicatrização, que denota também a possibilidade do óleo oferecer propriedades que possam ser associadas a fins estéticos. 

Mas, pelo menos por enquanto, não podemos afirmar que o óleo de rosa mosqueta melhora as olheiras. Vamos falar mais sobre isso? Acompanhe!

Conheça alguns tratamentos que realmente funcionam para olheiras! 

Imagem 4

Dogan & Kazankaya realizaram uma série de análises das características dos frutos e do óleo de rosa mosqueta da região da Turquia Oriental a fim de encontrar as suas propriedades químicas e físicas. 

Seus estudos evidenciaram a alta concentração de vitamina C, betacarotenos e licopenos. Além disso, também há concentrações relevantes de A, B1, B2, E e K e minerais como Potássio, Cálcio, Sódio, Ferro, Manganês e Fósforo. 

O estudo conduzido por Valladares J Palma encontrou no óleo extraído da rosa mosqueta concentrações relevantes de ácidos graxos, como ácido linoléico, ácido linolênico, ácido oléico, ácido palmítico, ácido palmitoleico, ácido esteárico, entre outros ácidos graxos. 

Esses são ácidos graxos essenciais, muito importantes para uma série de processos fisiológicos, como o bom aspecto da pele, da estrutura das membranas celulares, 

bem como a síntese de determinados compostos biológicos.

Entre os benefícios desses ácidos temos: anticarcinogênese (prevenção do câncer), antiaterosclerose (prevenção da esclerose), inibição de radicais livres, melhora no metabolismo da gordura presente no tecido adiposo, fortalecimento do sistema neurológico, ação antibacteriana e anti diabética. 

Além disso, os ácidos graxos presentes no óleo de rosa mosqueta podem auxiliar na função estrutural dos fosfolipídios presentes nas membranas celulares dos tecidos e nos processos metabólicos. Essas características tornam o óleo um poderoso agente natural para o tratamento de feridas e cicatrização dos tecidos. 

Em menor quantidade estão ácido t-retinóico, ácido quínico, aminoácidos, pectina,  antocianinas, benzaldeído, citral, entre outros minerais. 

O que se diz do óleo de rosa mosqueta para olheiras?

Ao acessar algum material sobre o óleo de rosa mosqueta é possível encontrar as seguintes informações:

O óleo de rosa mosqueta é extraído das flores e sementes da planta de científico Rosa affinis rubiginosa ou Rosa canina, da família Rosaceae. É originária da Europa Central e Mediterrâneo, mas se desenvolveu bem na América do Sul, em especial no Chile, devido ao clima frio. 

Acredita-se que as propriedades curativas e cicatrizantes do óleo também fazem bem à pele, estimulam a renovação celular, eliminam manchas de pele causadas pelo sol, previnem o envelhecimento precoce e promovem a hidratação profunda da pele, devido ao seu poder de penetração. 

Mas afinal, o óleo de rosa-mosqueta faz bem para a pele?

Sim, mas não da forma como é apresentado em alguns materiais na internet. Inicialmente, o óleo de rosa-mosqueta é rico em ácido linoléico, que age na formação das ceramidas, principal elemento hidratante da pele.

Além disso, a vitamina C apresenta efeitos anti envelhecimento, reparando danos relacionados ao fotoenvelhecimento (luz solar). Também pode “clarear a pele”, o que pode ser benéfico para as olheiras pigmentares, no entanto, não existe uma comprovação quanto a isso. 

O que está comprovado, como evidenciado, são suas propriedades cicatrizantes, antivirais e antifúngicas. Já é utilizado para o tratamento dos eczema devido ao seu alto poder de hidratação. 

Nada impede que as pessoas usem o óleo de rosa-mosqueta, no entanto, é preciso consultar o dermatologista. Ele é o profissional mais indicado para avaliar a situação das olheiras, identificar seu tipo e a partir daí definir o melhor tratamento para aquele paciente. 

Qualquer substância que não tenha eficácia científica comprovada pode não resolver o problema e ainda aumentar as manchas. Portanto, evite qualquer produto ou receita caseira antes de consultar o médico. 

Saiba mais sobre as causas e os principais tratamentos indicados para olheiras! 

Agende uma consulta através do nosso WhatsApp

Dra. Juliana Toma – Médica Dermatologista pela Universidade Federal de São Paulo – EPM

Clínica no Jardim Paulista – São Paulo – SP

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521. Médica Especialista em Dermatologia pela SBD. Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês. Pós-Graduação em Pesquisa Clínica - Principles and Practice of Clinical Research - Harvard Medical School (EUA).

Deixe o seu comentário