Laser Spectra: o que é e como age na pele

A laserterapia não é uma novidade na dermatologia. O tratamento é muito utilizado para rejuvenescimento facial, principalmente para controle de manchas, rugas e linhas de expressão. 

O laser Spectra é uma abordagem inovadora, segura e que apresenta uma série de benefícios à pele. 

Conheça as principais causas de manchas na pele! 

Continue lendo o post, entenda mais sobre a técnica, como funciona, entre outras informações sobre o tema. Boa leitura!

O que é Laser Spectra

O Spectra é um aparelho de laser que utiliza uma tecnologia moderna que emite feixes rápidos de laser de alta intensidade por meio de uma ponteira específica. A principal característica desse aparelho é o ataque seletivo, ou seja, ele age em determinados pontos conforme o objetivo do tratamento. 

Por exemplo, o feixe de luz pode atingir somente os pigmentos das manchas de melasma, sem atingir outras estruturas. Nesse caso, o laser vai eliminar as manchas com a emissão de pulsos de luz, a célula pigmentada é absorvida pelos melanócitos, de modo a controlar a produção e distribuição do pigmento. 

O processo de clareamento ocorre de forma progressiva, conforme a quantidade de sessões e os cuidados seguidos pelo paciente.

Quais as indicações do laser Spectra

Melasma – O ataque seletivo do laser permite fragmentar os pigmentos de melanina, que são eliminados pela pele. O clareamento ocorre de forma progressiva e em poucas sessões é possível notar a diferença.
Rosácea – é um tipo de doença vascular crônica que causa manchas vermelhas no rosto. O Spectra destrói seletivamente os vasos sanguíneos e as telangiectasias devolvendo o aspecto normal da pele.
Acne – a acne é a principal razão das consultas dermatológicas no país. O tratamento visa aquecer a derme onde as glândulas sebáceas se alojam a fim de reduzir sua atividade.
Dilatação dos poros – pessoas que se sentem desconfortáveis com os poros dilatados podem fazer tratamento com Spectra.
Rejuvenescimento facial – os feixes de luz promovem a renovação celular. Basicamente, eles estimulam a formação de uma nova camada de derme, bem como a produção de colágeno novo e de fibras de elastina. Também reduz rugas e marcas de expressão. O resultado é uma pele mais brilhante, tonificada e sedosa.
Remoção de olheiras – os feixes do Spectra destroem as células pigmentadas na região abaixo dos olhos. Também reduzem o aspecto de cansaço do rosto.
Micose de unha – infecções nas unhas causadas por fungos conhecidas como onicomicose dermatofítica ou tinea unguium podem ser perfeitamente tratadas com Spectra.
Remoção de tatuagens e maquiagem definitiva: O laser Spectra é capaz de destruir as células pigmentadas com a tinta da tatuagem e maquiagem definitiva. O procedimento é quase indolor, mas o paciente pode sentir algum desconforto durante o tratamento.
Verrugas – As verrugas são pequenas protuberâncias de pele que, ao serem submetidas ao laser Spectra, perdem a rigidez e caem naturalmente após as sessões.
Remoção de pelos – os feixes de luz atingem a raiz dos fios, dessa forma há a cauterização dos fios, assim seu crescimento é retardado.

Além dessas indicações, o tratamento usando o laser Spectra também é indicado para dermatites, infecções fúngicas como sarnas, demais manchas de pele, entre outras condições que atingem o tecido cutâneo.

Como é a sessão

Tudo vai depender do tipo de tratamento, no entanto, o processo é semelhante na maior parte deles. O dermatologista irá avaliar a condição do paciente, indicar a quantidade de sessões, objetivos, entre outros cuidados necessários para antes e depois do procedimento. 

É preciso evitar apenas o uso de aspirina nos dois dias que antecedem a sessão para reduzir o risco de púrpura (manchas arroxeadas na pele causadas pela inflamação), e de perfume no dia do tratamento. 

O feixe de luz emitido pelo Spectra é menos doloroso do que o laser tradicional, mas isso não impede o uso de um anestésico antes da sessão. É um aparelho versátil, que possui diferentes modos de ação para tratamentos individualizados. 

Durante o procedimento, o paciente pode sentir uma pequena queimação ou desconforto, mas que passa pouco tempo depois. 

Cada sessão dura em média 40 minutos. O dermatologista mapeia os locais que recebem os feixes de luz e começa a aplicação de acordo com o planejado.

O que fazer após o procedimento

Por se tratar de um tratamento não invasivo, o paciente pode retornar às suas atividades cotidianas até no mesmo dia da sessão, visto que não há período de recuperação. Apesar disso, é necessário seguir algumas orientações, vamos a elas:

  • O paciente pode apresentar vermelhidão no local, se isso ocorrer é indicado aplicar gelo ou bolsas térmicas geladas na área de tratamento por 10 a 15 minutos a cada 4 horas ou em intervalos menores, como a necessidade. 
  • Em casos isolados algumas bolhas podem surgir, o que exige pomada antibiótica na área duas ou mais vezes por dia até se curar. 
  • Banhos podem ser tomados normalmente, evite apenas esfregar agressivamente o local, usar esfoliante ou escovas.
  • É necessário evitar banhos de piscina ou mar nos primeiros 4 dias após a sessão. 
  • Evite fazer atividades que causem transpiração excessiva durante as primeiras semanas após as sessões. 
  • Evite também a exposição solar entre às 10 da manhã e 4 da tarde. 
  • Use filtro solar com fator FPS 30 ou superior.

Quais as contra indicações

Determinadas condições ou pessoas não podem fazer uso do laser Spectra. Entre elas podemos destacar:

Gestantes;
Pessoas com alguma lesão ou infecção em áreas próximas às que serão tratadas;
Pessoas com vitiligo ou infecções ativas no local devido ao risco de hipo ou hipercromia (alterações na tonalidade normal da pele).
Pessoas que estão fazendo uso de Roacutan, determinados antibióticos, anticoagulantes, corticoides ou medicamentos fotossensibilizantes.
Pessoas com pele bronzeada ou que possuem câncer de pele.

Perguntas frequentes sobre o Laser Spectra

Quantas sessões são necessárias?

Vai depender do tipo de tratamento, no entanto, de 2 a 6 são o suficiente para diversas condições, retirada de manchas, pelos ou tinta de tatuagem.

Há efeitos colaterais?

Os efeitos colaterais são apenas de calor intenso e leve desconforto durante os disparos de luz. Uma suave sensação de queimação também é esperada, mas geralmente passa em alguns dias.

Há riscos ao paciente?

Os riscos são mínimos desde que o paciente recorra a um profissional capacitado, faça o pré e pós procedimento conforme as indicações do dermatologista. Pode haver irritações, vermelhidão, inchaço, formação de feridas e bolhas. Em casos raros pode haver redução ou aumento da pigmentação da pele ou lesões oculares se o paciente não utilizar óculos de proteção. 

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521. Médica Especialista em Dermatologia pela SBD. Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês. Pós-Graduação em Pesquisa Clínica - Principles and Practice of Clinical Research - Harvard Medical School (EUA).

Deixe o seu comentário

Abrir chat
Agende sua avaliação