Artigo

Como funciona a drenagem linfática?

Você sabia que a drenagem linfática pode ser uma grande aliada do nosso corpo? 

Esta técnica se diferencia dos outros métodos de massagem por agir direta e especificamente sobre o sistema linfático. Além disso, suas pressões manuais são extremamente leves e lentas, por isso, não causam vasodilatação arteriolar, o que explica a ausência de dor e eritema. 

O método é um recurso contra edemas, que podem ser causados pelo simples acúmulo de líquidos no corpo, característico de uma alimentação desbalanceada e do sedentarismo, mas também pode ter origem em doenças mais graves. De qualquer forma, deve-se ficar atento e investigar a causa do problema. 

Neste artigo, não falaremos sobre uma doença ou distúrbio, e sim sobre uma solução, um tratamento incrível, que pode ser exatamente o que você procura.

A drenagem é uma técnica que utiliza a massagem para intensificar a atividade do sistema linfático, garantindo efeitos contra edemas e promovendo relaxamento e bem-estar.

Ao contrário do que muitos pensam, a técnica não tem como objetivo direto o emagrecimento, já que não elimina gordura. 

O método foi desenvolvido pelo terapeuta dinamarquês Vodder e sua esposa em 1932, sendo aprimorado ao longo do tempo e se tornando cada vez mais popular. 

Na prática, consiste em uma massagem que trabalha sobre o sistema linfático através de movimentos precisos que aceleram a movimentação da linfa até os gânglios linfáticos.

A linfa é um líquido viscoso e sem cor, formado por substâncias orgânicas e inorgânicas, principalmente resíduos e toxinas do corpo. 

A partir nos linfonodos, para onde é direcionado durante a drenagem, esse líquido alcança os vasos capilares, e acabam sendo consequentemente eliminados. 

Por acelerar o processo de retirada dos líquidos acumulados entre as células, a técnica promove ainda regeneração celular, beneficia o sistema imunitário, e contribui no combate a celulites e a gordura localizada.

Tipos

A drenagem linfática é classificada em dois tipos de acordo com a sua forma de aplicação, veja:

Manual

A drenagem linfática manual, como o próprio nome torna explicito, é realizada sem uso de qualquer objeto ou aparelho, apenas utilizando as mãos. O terapeuta realiza movimentos suaves e sem executar muita pressão sobre a pele, cabe a esses movimentos levarem o excesso de líquidos parado entre os tecidos até os gânglios mais próximos.

As massagens manuais permitem uma maior precisão em relação a áreas inchadas, já que o profissional pode sentir com suas próprias mãos regiões de nódulos. 

Este é também o tipo indicado para pessoas em período pós-operatório, pois estimula a produção de colágeno, acelerando o tempo de cicatrização.

Mecânica

A drenagem mecânica age da mesma forma que a manual, mas se diferencia no método de execução. Além disso, sua ação é mais profunda sobre os tecidos, gerando efeitos sobre a musculatura e até sobre a camada adiposa da pele.

Sua aplicação se dá por meio de equipamentos específicos de drenagem, que devem ser personalizados conforme a necessidade de cada paciente. 

Este tipo de drenagem é contraindicado para pacientes em período pós-operatório devido a maior sensibilidade na pele nesse período. Nestes casos, o aparelho pode acabar prejudicando ou retardando a recuperação. 

O tratamento é indicado para quem busca relaxamento, diminuição de medidas e no combate a celulites.

O que você precisa saber sobre o Sistema Linfático

O sistema linfático é formado por uma rede de vasos por onde passam os fluidos do corpo.

A melhor forma de entendermos como funciona a drenagem linfática é falando sobre o sistema sobre o qual ela atua, o sistema linfático. 

O sistema linfático é formado por uma rede de vasos por onde passam os fluidos do corpo. O líquido coletado por esse sistema é encaminhado para as veias. 

Vamos entender isso melhor? 

O sistema circulatório do nosso corpo é composto por sangue arterial, que vai do coração para os órgãos, e venoso, que volta do corpo para o coração. 

Nos órgãos ocorrem as trocas gasosas. O sangue que vem do coração e é rico em oxigênio e nutrientes deixa seu conteúdo e recebe gases e toxinas, tornando-se sangue venoso. 

Essa troca ocorre nos capilares, que são veias mais finas capazes de permitir a troca de nutrientes. É neste momento que a linfa é formada. Uma parte deste líquido acaba escapando para os tecidos e ali se acumulam. 

A linfa é formada por água, proteínas, lipídios, glóbulos brancos, mas principalmente, por toxinas e resíduos que se não forem eliminados podem acabar acarretando danos ao organismo.

Para que este líquido volte a circulação, entra em cena o sistema linfático. Ele tem a função de direciona-lo para os filtros do organismo, os linfonodos ou gânglios linfáticos, que estão localizados nas axilas, virilha, clavícula e pescoço, e daí, para as veias. 

Embora o sistema linfático possua toda a rede de canais necessárias para realização deste processo, não possui seu próprio bombeamento. 

Para que a drenagem fisiológica do organismo aconteça contamos com as pressões exercidas pelos músculos espalhados por todo o nosso organismo. 

Se você não pratica atividade física, passa muito tempo sentado ou vive em regiões muito quentes, provavelmente terá alguns problemas em relação a isso. 

Outros fatores também podem interferir no funcionamento do sistema linfático, como as alterações hormonais típicas da gravidez e da menstruação, o excesso de sódio na alimentação e a insuficiência cardíaca, renal e hepática.

A retenção de líquidos é apenas uma consequência de tudo isso. Entendeu porque a drenagem linfática pode ser uma grande aliada do nosso corpo? 

Para que serve a drenagem linfática

Em suma, sua função é drenar a linfa, retirando os líquidos ricos em toxina acumulados entre as células, independente se a causa deste acúmulo seja por um atraso na produção de linda ou dificuldades de absorção por parte das células. 

Desta forma, o procedimento melhora a circulação do organismo de uma maneira geral, ampliando a oxigenação dos tecidos, o que gera não só consequências fisiológicas, mas também estéticas. 

Com a estimulação por meio da drenagem linfática é possível diminuir o inchaço e melhorar a celulite, além disso, o procedimento relaxa o corpo.

Por meio do processo é possível ainda reduzir as medidas devido ao controle do inchaço e das toxinas do corpo. A técnica trabalhada, mesmo que discretamente, no combate a gordura localizada, já que estimula o metabolismo da área tratada. 

Embora promova a redução de medidas, a drenagem linfática não emagrece por si só. Mas pode sim ser uma aliada de outros métodos de emagrecimento, potencializando os resultados da atividade física e das dietas.

Contraindicações

Apesar da drenagem linfática possuir pontos positivos, ela não é recomendada para todas as pessoas, não devem fazer este tipo de massagem aqueles que possuem alguma infeção, pois é possível que as células infecciosas vão para o sistema linfático e se espalhem pelo corpo.

Além disso, o método é contraindicado para:

Infecções agudas
Flebites
Tromboflebites (trombose venosa superficial)
Pacientes em tratamento de algum tipo de câncer
Insuficiência cardíaca
Hipotensão arterial
Hipertireoidismo não tratado
Asma brônquica grave

Já as grávidas possuem apenas restrição para até os três meses de gestação, após esse período está liberado, porém é importante ter uma orientação médica.

Da mesma forma, mesmo não havendo restrição quanto a prescrição do tratamento, é recomendada a consulta com dermatologista para análise da indicação da massagem para o seu caso.

Como funciona a drenagem linfática?

Conhecendo o sistema linfático, sobre o qual atua a drenagem linfática, fica fácil compreendermos como este tipo de massagem funciona. 

Como vimos, o sistema linfático trabalha com a circulação arterial e venosa, e a linfa é o líquido que circula por meio dos vasos linfáticos, líquido que possui proteínas, glóbulos brancos, microrganismo, células mortas, células sanguíneas e também toxinas e bactérias.

A linfa segue para os vasos do sistema linfático, retornando aos gânglios. Os gânglios linfáticos, ou linfonodo, estão no corpo e são importantes para sistema imunológico e tem como função combater infeções, germes e outras substâncias.

A técnica, que pode ser aplicada por meio das mãos ou através de objetos específicos, proporciona dois efeitos básicos: eliminação de toxinas e eliminação de líquidos do organismo.

Independente da modalidade escolhida, ela funciona da mesma forma. Através de movimentos precisos e suaves, a linfa é empurrada até os gânglios linfáticos distribuídos nas mais diversas partes do corpo. 

Cada região do corpo exigirá um determinado tipo de movimento, que irá direcionando o líquido para os linfonodos mais próximos. Veja: 

  • Pernas: movimentos feitos de forma progressiva direcionados para a fossa poplítea, região atrás dos joelhos
  • Coxas: movimentos direcionados para a região da virilha
  • Barriga: movimentos direcionados para à virilha
  • Braços: movimentos direcionados para as axilas
  • Rosto: movimentos direcionados para os gânglios da clavícula e do pescoço

No caso da drenagem linfática manual, o profissional irá realizar pequenas pressões sucessivas com os dedos em direção aos gânglios linfáticos empurrando a linfa, como descrito anteriormente. 

Enquanto isso, na drenagem linfática mecânica, tais movimentos são executados por aparelhos, como podemos ver exemplificado na imagem abaixo.

A influência desses estímulos externos é eficaz já que os linfonodos, assim como os canais que compõe a rede do sistema linfático, estão localizados na camada mais superficial da pele, a derme. Isso também explica a leveza dos movimentos aplicados. 

Não é indicado o uso de cremes ou óleos sobre a pele. Embora facilitem o deslizar das mãos e sejam úteis em muitas massagens, neste método ele pode se tornar prejudicial, afetando a precisão dos estímulos.

Como a drenagem linfática é feita

Como vimos, a drenagem linfática pode ser feita de forma manual, é importante que os movimentos sejam realizados de maneira leve com pressão em bracelete. Cada local do corpo recebe um movimento diferente. Ela pode ainda ser feita com aparelhos da endermologia.

A regularidade do tratamento pode variar, mas a repetição regular é importante. Geralmente, são feitas de uma a três sessões por semana. Cada sessão dura entre 30 e 40 minutos. 

Para que o tratamento se torne realmente eficiente, é imprescindível que o profissional tenha conhecimentos a respeito do sistema linfático, respeitando os trajetos dos vasos, sempre no sentido do gânglio mais próximo. Em geral, os movimentos devem ser lentos e ritmados.

Manobras mais usadas

São muitas as manobras utilizadas na drenagem linfática. As combinações mais comuns incluem: 

Círculos com os dedos (sem o polegar)

Se trata de movimentos circulares com pressões leves sobre a pele, realizados consecutivamente em uma determinada área.

Pressão com a parte lateral da mão

Com a parte lateral da mão (lado do dedo mindinho) sobre a região tratada, são feitos movimentos de rotação do punho até que todos os dedos encostem na pele. Da mesma forma, a manobra deve ser repetitiva algumas vezes consecutivas.

Deslizamento

Muito utilizado na drenagem das pernas e dos braços, os movimentos de deslizamento, também chamados de braceletes, são bem simples. Com a mão fechada sobre a região tratada, deve-se fazer uma ligeira pressão seguida por um movimento de arrastamento que vai da região mais próxima dos gânglios para a mais distante.

Pressão com o polegar

Basta apoiar o polegar sobre a região a ser tratada e realizar movimentos concêntricos enquanto pressiona levemente a pele. Tenha cuidado para não friccionar a região.

Como ampliar os resultados da drenagem linfática

E se fosse possível tornar os resultados da drenagem linfática ainda mais significativos? Temos algumas dicas para você. 

Ingestão de líquidos

Como assim a ingestão de líquidos pode cooperar com a drenagem linfática se ela tem como objetivo evitar a retenção de líquidos no organismo?

Dentre vários problemas que podem causar a retenção de líquidos está a desidratação. Pessoas que bebem pouca água não conseguem suprir as necessidades hídricas do organismo, e por isso o corpo acaba retendo líquido como uma compensação. 

A ingestão de líquidos é uma maneira de dar ao corpo o que ele precisa, evitando que os rins retenham água.

Alimentação saudável

O consumo exagerado de alimentos ricos em sódio também causa retenção de líquidos pelos rins. Entender isso é bem simples, afinal o líquido circula do meio mais concentrado para o menos concentrado. 

Para ampliar os resultados da drenagem linfática recomendamos que evite alimentos como refrigerantes, biscoitos recheados, doce e produtos processados.

Exercícios

Os exercícios são aliados do corpo em qualquer circunstância. Se você gostaria não só de perder medidas, mas deseja verdadeiramente emagrecer, combine a drenagem com uma rotina de atividades física. 

Movimentar o corpo acelera a eliminação de toxinas e gorduras beneficiando o sistema circulatório. Além disso, é a melhor forma de queimar calorias.

2 Comentários

Deixe o seu comentário.

Deixe o seu comentário