Tratamento de varizes – Conheça mais sobre as formas de tratamento

Antes de falarmos especificamente sobre o tratamento de varizes, precisamos esclarecer algumas coisas sobre elas. 

Você provavelmente sabe o que elas são. Estamos falando daquelas veias dilatadas e deformadas que surgem ao longo das pernas, especialmente das mulheres. 

Esta é uma condição bastante comum e conhecida. De acordo com a Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, 38% dos adultos sofrem com o problema. Nas mulheres, esse número sobe para 45%

Embora muitos pensem que as varizes são simplesmente um distúrbio estético, elas podem causar outros sintomas como dor e inchaço.

Além disso, se não tratadas adequadamente, tendem a gerar complicações. 

Uma pesquisa do Hospital Memorial Chang Gung publicada pelo periódico científico The Journal of American Medical Association confirmou um aumento de cinco vezes no risco de trombose venosa em pacientes com varizes. 

O fato é que as alterações estéticas provocadas apontam para problemas mais graves, e por isso devem receber a devida atenção. 

Ao longo deste artigo explicaremos em detalhes o que elas são, porque é importante tratá-las e como é feito o tratamento de varizes. 

O que são as varizes?

As varizes são filamentos arroxeados ou vasos grossos visíveis na pele, conhecidos como vasinhos e varizes. Os vasinhos ficam nas camadas superficiais da pele e podem ter um milímetro de diâmetro, enquanto as varizes apresentam diâmetro superior e ficam logo abaixo do tecido cutâneo.

A causa mais comum do seu aparecimento é a hereditariedade, normalmente a falta de proteínas, como elastina e o colágeno é determinada por fatores genéticos, sendo passada de pai para filho. A baixa produção dessas substâncias deixa a parede dos vasos sanguíneos mais frágeis, favorecendo o seu alargamento, e portanto, o surgimento de varizes. 

Existem ainda outros fatores que contribuem para o problema, como o uso de pílula anticoncepcional, gestação e reposição hormonal. Além disso, devemos citar possíveis causas mecânicas, como sedentarismo e obesidade.

Como tais fatores podem desencadear o aparecimento de varizes? Esse é o assunto do nosso próximo tópico.

Por que elas surgem?

Conforme vimos anteriormente, as varizes não são simplesmente uma condição estética. Seu aparecimento indica que algo não vai bem na circulação do sangue venoso pelo organismo.

Você já deve ter notado que este é um distúrbio mais frequente nos membros inferiores. Raramente percebemos essa alteração em outras partes do corpo, embora sim, isso seja possível. 

Para compreendermos porque as varizes surgem, precisaremos falar um pouco a respeito da nossa circulação sanguínea.

Como você bem sabe, o sangue circula do coração para o corpo através da artéria impulsionado pelo batimento cardíaco. Após trocas com os mais diversos órgãos, ele retorna ao coração, agora pobre em oxigênio e nutrientes, por meio das veias. Ao chegar ao coração, o sangue é direcionado aos pulmões, onde ocorrerão novas trocas e ele receberá mais oxigênio.

Contudo, o sangue ao retornar das pernas para o coração caminha em sentido contrário ao da gravidade. Além disso, já não possui mais aquele impulso de quando saiu do coração. 

Para que esse retorno seja possível, e então o sangue chegue ao coração, e após ele aos pulmões, e sejam efetuadas as trocas gasosas, as veias são repletas de pequenas válvulas capazes de regular o direcionamento do fluxo sanguíneo. 

Essas válvulas abrem e fecham empurrando o sangue de volta ao coração e, ao mesmo tempo, impedindo que ele desça quando estamos em pé. 

As varizes surgem quando esse mecanismo, por algum motivo, torna-se incapaz de exercer suas funções. 

Algumas condições podem causar desgaste dessas válvulas, fazendo com que elas não se fechem adequadamente e, desta forma, permitam o escape de sangue. Como consequência, a pressão sanguínea nas pernas aumenta, levando a dilatação e deformação de vasos.

Sintomas das varizes

As manifestações clínicas das varizes caracterizam o acúmulo de sangue explicado acima. A rede de vasos sanguíneos se torna mais azulada, grossa e saliente. 

A maioria das pessoas se queixa do problema estético, porém, alguns sintomas podem prejudicar a saúde, como:

  • Dor nas pernas
  • Câimbras
  • Queimação na perna e planta dos pés
  • Inchaço ao final do dia
  • Coceiras leves ou constantes
  • Cansaço e sensação de fadiga
  • Peso nas pernas
  • Veias azuladas e visíveis abaixo da pele
  • Agrupamentos de vasos avermelhados

Diagnóstico

O diagnóstico médico das varizes é bem simples, afinal, o distúrbio é visível a olho nu. Contudo, pode ser necessário excluir outros tipos de problemas, o que acaba exigindo uma maior cautela e métodos diagnósticos mais avançados. 

Diante dos sintomas aqui descritos, recomendamos que busque um médico da sua confiança. 

Durante a consulta, o médico fará uma avaliação cautelosa do seu caso, começando pela sua história (inclusive a respeito de familiares portadores do distúrbio) através da anamnese, e por um exame clínico completo, que permite a identificação de veias varicosas, além do estudo do seu tamanho, cor e comprimento. 

Se necessário, o especialista irá requerer alguns exames complementares.

Exames complementares

Dois são os exames mais pedidos para investigação de varizes: 

Flebografia

Flebografia ou venografia é o nome dado ao raio-x das veias, realizado após uma injeção de contraste. Geralmente, é indicado para casos mais graves de varizes. Além disso, é muito utilizado no diagnóstico de trombose venosa profunda e de malformações venosas. 

Ecodoppler

O ecodoppler permite o estudo da topografia das veias superficiais e profundas. Embora seja um exame mais caro, esse é geralmente o método de escolha para o diagnóstico das varizes, especialmente para evitar suas complicações e diferençar essa de outras condições similares.

A importância do diagnóstico precoce para o tratamento

O objetivo de tudo o que vimos até agora é que você entenda a importância do tratamento de varizes. Se diagnosticadas em fase inicial, elas são facilmente manejáveis de maneira conservadora, evitando não só suas próprias complicações, como também a necessidade de procedimentos mais invasivos. 

Exemplificamos algumas medidas simples que podem trazer excelentes resultados no trato de varizes, veja:

Meias elásticas

Elas apertam alguns pontos específicos da perna e facilitam o retorno do sangue ao coração. Além disso, o seu uso contínuo reduz a dor e o inchaço provocados pelo quadro.

Essas meias podem ser encontradas em farmácias ou lojas de produtos hospitalares. Embora sejam fáceis de achar, devem ser usadas estritamente sob prescrição médica. 

Geralmente, pacientes portadores de varizes são orientados a colocá-las logo ao acordar, retirando-as para tomar banho e dormir.

Medicamentos flebotônicos

Os medicamentos da classe dos flebotônicos reforçam o sistema circulatório ao aumentarem o tônus dos tubos sanguíneos. E tem mais, tais substâncias possuem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes.

Graças a todos esses efeitos, esses fármacos não só impedem a evolução das varizes, como também aliviam a sensação de peso, cansaço e até as cãibras por elas provocadas. 

Por agirem na microcirculação, os flebotônicos podem levar até 30 dias para fazer efeito, e seus resultados permanecem por período similar mesmo após a interrupção da medicação. 

Como são medicamentos naturais, são muito bem tolerados e possuem pouquíssimos efeitos colaterais.

Atividade física

Não poderíamos deixar de comentar a respeito da atividade física como tratamento de varizes. O movimento fortalece a musculatura da panturrilha. que auxilia no retorno sanguíneo ao coração. 

Além disso, o exercício, combinado a uma alimentação saudável ajuda na manutenção do peso ideal, e o sobrepeso e a obesidade estão entre os principais promotores da doença. 

Como sugestão de exercícios deixamos a caminhada, os aeróbicos e o ciclismo, que fortalecem com intensidade os músculos da perna.

Tratamento de varizes

Existem alguns tratamentos mais específicos para varizes que você precisa conhecer.

Sem cirurgia

A Escleroterapia (secagem dos vasinhos) e a Esclerose com Espuma (para varizes e microvarizes) são os principais métodos não cirúrgicos para tratar varizes já em avanço. 

Antes do tratamento é preciso fazer uma avaliação para ver qual método é o mais indicado para você. 

De qualquer forma, te apresentaremos em detalhes as duas opções.

Escleroterapia para varizes

A escleroterapia é realizada em pequenos vasos, com aplicações que dependem do tamanho da alteração. Em todo caso, o tratamento deve ser realizado após uma avaliação médica precisa. 

O procedimento é feito por um médico angiologista e visa a eliminação de vasinhos e varizes. Geralmente, é realizado através de uma injeção de uma substância específica, capaz de eliminar esses vasos sanguíneos. 

Após algumas semanas do tratamento, as varizes tendem a desaparecer, sendo que o resultado final surge apenas um mês após a aplicação.

Escleroterapia com espuma para varizes

A escleroterapia com espuma é capaz de eliminar completamente as varizes. A técnica consiste na aplicação de uma substância esclerosante em forma de espuma diretamente sobre as lesões até que elas sumam por completo. 

O tratamento é bastante eficaz para varizes de até 2 mm e as aplicações variam conforme quantidade e tamanho das veias.

 Quando as veias são muito grande, o resultado pode não ser o esperado, ocorrendo apenas uma redução da dilação. Contudo, para esses casos, podem ser recomendadas mais de uma aplicação na mesma variz, potencializando os efeitos do procedimento.

Cirurgias

Em casos mais graves a cirurgia pode ser indicada, sendo necessária a remoção da veia doente (forma tradicional) ou o seu ressecamento, realizado através da cirurgia a laser. 

Estas duas formas de tratamento são eficientes, além disso, no tratamento a laser a recuperação é muito mais rápida, permitindo que o paciente volte às atividades normais em três dias.

Que tal conhecermos melhor cada um desses métodos?

Cirurgia convencional

As varizes mais calibrosas geralmente causam bastante incomodo, não só estético, como dores, por isso, acabam tendo que ser tratadas por meio da cirurgia convencional. 

O método mais tradicional exige internação hospitalar, afinal, é realizada a retirada completa das veias afetadas. 

Sua recuperação dura em média 15 dias, período no qual o paciente deve permanecer em repouso e fazer uso de meias de compressão.

Cirurgia a laser 

A cirurgia a laser surgiu com o propósito de tornar mais simples e menos invasivo o procedimento tradicional anteriormente apresentado. Seus benefícios atingem tanto a estética quanto á saúde. 

Este método é muito utilizado no tratamento de varizes que atingem a veia safena. Uma alta energia do laser é direcionada para o vaso doente, minando completamente o seu funcionamento. Com isso, o próprio organismo se encarrega de desviar a circulação sanguínea. 

Dentre as vantagens desta técnica, podemos citar o menor risco de complicações e uma recuperação consideravelmente mais rápida.

Recomendações Gerais

Como podemos ver ao longo deste artigo, existem diversos tipos de tratamento de varizes. No entanto, recomendamos alguns cuidados simples que podem evitá-las ou mesmo prevenir suas possíveis complicações. 

Para começar, adote hábitos saudáveis, inclua exercícios em sua rotina semanal, mantenha uma alimentação balanceada e se distancie de qualquer tipo de vício, em especial o tabagismo. 

Se você possui varizes ou sabe que há casos do problema em sua família, deverá tomar ainda mais algumas precauções, como: 

  • Evite passar muito tempo em pé ou parado em uma mesma posição, o movimento muscular ajuda o sangue a circular, facilitando o seu retorno ao coração.
  • Use meias de compressão, especialmente em longas viagens de avião ou de carro
  • Procure elevar as pernas acima do nível do coração por alguns minutos algumas vezes ao longo do dia para facilitar o retorno do sangue.
  • Aplique compressas frias sobre as varizes, pois as baixas temperaturas promovem efeito vasoconstritor e ajudam no fluxo sanguíneo.
  • Fortaleça os músculos da panturrilha, em especial por meio de corridas e caminhadas, pois eles são importantes para a movimentação sanguínea.
  • Mantenha o seu corpo em forma, para isso, cuide bem da sua alimentação e não exagere nos carboidratos. 

Visite o seu médico periodicamente para acompanhar a evolução do quadro. Fique atento aos sintomas e priorize o diagnóstico precoce.

Deixe o seu comentário

Abrir chat
Agende sua avaliação