Remoção de tatuagem – como funciona

Tatuagens não são para sempre. Vários são os motivos para que as pessoas recorram à remoção de tatuagem. Arrependimento, razões profissionais ou o motivo pelo qual ela foi feita perdeu seu significado são alguns exemplos. 

Diante da necessidade cada vez mais comum da sua remoção, foram desenvolvidas técnicas eficientes e seguras, capazes de remover o pigmento e proporcionar à pele um aspecto semelhante ao que ela tinha antes da pintura. 

As soluções atuais, como a laserterapia, conseguem fazer a remoção seletiva dos pigmentos, sem comprometer a região circunvizinha. É uma grande evolução, visto que as técnicas antigas, a exemplo da destruição mecânica, química ou térmica dos tecidos são pouco seguras, dolorosas, geravam cicatrizes e nem sempre apresentavam o resultado esperado.  

Leia também: Manchas na pele – Principais causas e tratamentos

Continue lendo o post, entenda mais sobre a remoção de tatuage e como funciona. Boa leitura!

Como funciona a remoção de tatuagem com laser

As tintas empregadas nas tatuagens são formadas por metais pesados e através das agulhas chegam até a derme (camada mais profunda da pele) e lá são depositadas. Nosso corpo as identifica como um agente intruso e tenta eliminá-las produzindo mais glóbulos brancos. 

Acontece que os glóbulos brancos são células muito menores que os pigmentos de tinta, assim não conseguem ser eficientes na expulsão dos “invasores”. Eles até tentam fagocitar as partículas de tinta, porém não é o suficiente para removê-las. Por isso, com o passar do tempo as tatuagens desbotam, mas permanecem lá. 

Para a remoção completa, é preciso um agente externo, no caso o laser, mas não é qualquer um. É necessário um laser com comprimento de onda adequado para a remoção de tatuagem. 

O laser produz um feixe de luz, também chamado de pulso de luz, que age especificamente no pigmento presente na tatuagem, não afetando a região ao redor dele. O pigmento então absorve a energia do laser e a tinta é fragmentada, digerida pelos macrófagos (células de defesa do organismo) e absorvida pelo sistema linfático. Assim, o pigmento é eliminado de forma natural pelo corpo, sem nenhum prejuízo. 

Em termos mais simples, o pigmento é como se fosse uma pedra que fica instalada dentro da pele. O laser então vai quebrá-la em pedacinhos menores que serão eliminados naturalmente pelo organismo. 

As tatuagens com tinta preta apresentam uma melhor resposta ao laser. Isso significa que são necessárias menos sessões e o resultado é melhor. Já as tintas coloridas dão um pouco mais de trabalho e em algumas situações podem deixar um pigmento residual, algo semelhante a uma pequena cicatriz ou uma hipocromia, que é o efeito da pele ficar um pouco mais clara do que era.

Vale ressaltar que nem sempre a pele fica igual a quando a pessoa não tinha tatuagem. Quanto mais profunda for a posição do desenho na pele, mais difícil será o procedimento. A cor da pele também interfere, dessa forma pessoas com pele mais escura podem apresentar mais complicações em relação àquelas com pele mais clara.

Quais tipos de laser são usados na remoção de tatuagem

Os lasers mais eficientes para remoção de tatuagem atualmente são:

Q Switched Nd Yag

A linha de lasers Q Switched é a mais moderna no mercado atualmente. Não é algo novo, mas como passou por constantes atualizações, é uma das melhores opções para a remoção definitiva das tatuagens, maquiagem definitiva, entre outras marcas artificiais ou naturais como melanoses causadas pelo sol. 

O termo “Q-switch” está associado ao tipo de pulso do laser, mas o que difere de outras opções no mercado é a ponteira, capaz de criar feixes de luz rápidos, contínuos e segmentados. Dessa forma, a energia emitida é concentrada em pulsos (rajadas) que apesar de durarem nanos segundos são poderosas e eficientes. 

Os pulsos são fortes o suficiente para quebrar os fragmentos de pigmentação e ainda estimular a produção de elastina e colágeno novo, assim, a remoção não deixa cicatrizes. Como os pulsos emitidos pelo laser são seletivos, apenas o pigmento da tinta é quebrado, reduzindo os efeitos colaterais.

Spectra

Spectra é um tipo de laser que utiliza uma tecnologia moderna, que também gera feixes de luz seletivos, com duração de nanos segundos e alta densidade. Atinge os pigmentos sem danificar a pele ao redor e sem gerar calor (efeito fotoacústico).

Trata-se de uma tecnologia versátil, com modos específicos de ação que permitem tratamentos individualizados nas condições mais adversas. Esse tipo de laser também é efetivo no tratamento de melanoses, acne inflamada, rosácea, poros abertos, infecções causadas por fungos (micoses), entre outros tratamentos dermatológicos.

Perguntas frequentes

Agora vamos a algumas dúvidas que podem surgir sobre o tema:

Qual o melhor laser? Spectra ou Q-Switched?

Os dois são eficientes na remoção da tatuagem. Além disso, a combinação das duas tecnologias permite uma melhor remoção de tatuagem, independente das cores em todos os fototipos de peles.

Quantas sessões são necessárias?

Isso vai depender das cores presentes na tatuagem, seu tamanho, profundidade que ela se encontra na pele e adaptação do paciente a laserterapia. Em geral, de 8 a 15 sessões são ideais para a retirada da maioria das tatuagens. O intervalo entre as sessões varia entre 7 a 14 dias, dependendo da resposta do paciente.

Todo mundo pode fazer a remoção de tatuagem?

Sim, independente da área do corpo, profundidade e tom de pele. Somente pessoas com infecções não tratadas próximas ao local ou com pele bronzeada devem evitar a laserterapia até que as condições normais da pele sejam restauradas.

O tratamento com laser é doloroso?

O desconforto é mínimo durante as sessões, mas ainda assim, se for necessário pode ser usado algum anestésico. Após o procedimento, a pele pode ficar um pouco inchada (edema), o que pode ser resolvido com medicamento receitado pelo dermatologista.

Quais os cuidados antes do procedimento?

É importante evitar o uso de remédios como aspirina e ibuprofeno, pois podem aumentar a circulação e causar edemas após a sessão. Também é importante evitar o consumo de bebida alcoólica nos dois dias que antecedem a sessão.

Quais cuidados depois do procedimento?

Após as sessões, é indicado o uso de pomadas cicatrizantes receitadas pelo dermatologista. Além disso, ele pode indicar compressas de água gelada para reduzir edemas, protetor solar, e sobretudo, evitar a exposição ao sol e atritos com roupas, pulseiras, relógios, entre outros acessórios. 

Os cuidados devem ser mantidos por cerca de 10 a 15 dias, conforme a tatuagem. Após 15 dias, o paciente pode usar pomadas de hidratação intensiva.

Quais outros procedimentos para remoção de tatuagem?

Embora não sejam tão eficientes quanto o laser, alguns outros procedimentos também removem tatuagens. Entre eles a dermoabrasão, em que é feito o lixamento para remover as camadas de pele e com isso os pigmentos de tinta; o peeling que utiliza ácidos para promover a descamação das camadas e remover os pigmentos e a cirurgia que retira a pele em que está a tatuagem e depois o dermatologista “costura” o tecido.

Ambos apresentam falhas, podem até retirar os pigmentos, mas deixam marcas como hiper e hipopigmentação ou cicatrizes.

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521. Médica Especialista em Dermatologia pela SBD. Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês. Pós-Graduação em Pesquisa Clínica - Principles and Practice of Clinical Research - Harvard Medical School (EUA).

Deixe o seu comentário

Abrir chat
Agende sua avaliação