Para que serve a Toxina botulínica

Para que serve a toxina botulínica? Comercialmente conhecida como botox, a toxina botulínica é aplicada em mais de 80 terapias e não somente na estética. Microcefalia, estrabismo, paraplegia, espasmos musculares são algumas das indicações. 

Descubra qual o mecanismo de ação da toxina botulínica e quais são os cuidados necessários antes e após o tratamento. 

Isso é possível pois a toxina consegue impedir a contração muscular, agindo na paralisia temporária do músculo, o que reduz determinados sintomas associados a essas condições. Continue lendo o post, descubra as principais atribuições dessa neurotoxina, como age no organismo humano e seus benefícios na estética. Acompanhe!

A toxina botulínica é indicada para uma série de situações, entretanto, é necessária a indicação do médico, isso porque o uso indiscriminado da toxina pode promover a paralisia muscular permanente. É o que ocorre em casos de botulismo, doença alimentar causada pela mesma bactéria que dá origem ao botox. 

Com a ajuda de um especialista, o uso da substância pode ser indicado para:

Redução da hiperidrose (suor em excesso) – aplicada nas axilas, palma dos pés e mãos para inibir a ação excessiva das glândulas sudoríparas;
Redução de espasmos faciais (tique nervoso) – a toxina é indicada quando ocorre o fechamento involuntário dos olhos ou contrações cervicais sustentadas, reduzindo dores e prejuízo visual;
Controle do Blefaroespasmo – é quando a pessoa fecha os olhos de forma descontrolada. Nesse caso, o botox impede a movimentação involuntária dos músculos;
Correção do estrabismo – a toxina é aplicada diretamente o músculo ocular externo, de modo a relaxar e alinhar os olhos;
Controle do bruxismo – é indicada quando o bruxismo causa desgaste ou perda dentária, dores de cabeça, disfunção da articulação temporo-mandibular;
Tratamento de para reduzir a espasticidade em doenças neurológicas – entre elas a microcefalia;
Diminuição da dor neuropática – a toxina botulínica age na superfície de receptores e canais nos neurônios aferentes primários, reduzindo as dores;
Auxilia na recuperação motora de pacientes de AVC – age no relaxamento da musculatura em pacientes com sequelas, auxiliando assim na prática da fisioterapia; Salivação em excesso – inibe a ação das glândulas salivares, estabilizando a salivação;
Também é utilizada para redução de tremores e Parkinson, combate a gagueira, incontinência urinária, combate a dor lombar crônica, entre outras terapias.

Como age no corpo humano

A toxina botulínica é uma neurotoxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum, causadora do botulismo. O botox aplicado nos tratamentos descritos é diluído em soro fisiológico para evitar quaisquer complicações, dessa forma se torna seguro. 

Na maioria das aplicações, incluindo a estética, a toxina botulínica age de forma semelhante. Ao ser injetada por via intramuscular a toxina bloqueia os sinais nervosos, causando sua contração. 

Assim, o músculo não se contrai de novo. Por isso, quando aplicado na pele para fins estéticos, deixa aquele aspecto “esticado” ou “relaxado”. Essa reação costuma durar de 4 a 6 meses, pois o organismo percebe que não consegue movimentar o local, então reage produzindo novos terminais nervosos. A partir daí, consegue restabelecer as movimentações musculares.

Agende sua consulta

Agende uma consulta e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto.

Atendimento de Segunda a Sábado

Tratamentos estéticos com a toxina botulínica

Agora que você já conhece as aplicabilidades clínicas, vamos responder para que serve a toxina botulínica na estética. Há mais de 20 anos, o botox é usado para fins estéticos, sobretudo para técnicas que promovem o rejuvenescimento facial. Vamos a alguns pontos de destaque sobre o tema.

Quais os benefícios para a estética

Entre os benefícios estéticos que a toxina botulínica pode trazer, podemos destacar:

Reduz os efeitos da hiperatividade da musculatura da face, responsável pelo aparecimento das rugas dinâmicas, que se formam pela contração muscular;
Deixa mais suaves as marcas de expressão causadas pelo envelhecimento natural da pele;
Deixa o rosto com uma aparência mais relaxada e descansada;
Quando usado de maneira preventiva, evita a formação de marcas de expressão;
Permite suavizar marcas do tempo em várias áreas da face, como nariz, testa, maçãs do rosto, na lateral dos olhos para reduzir pés galinha, marcas entre as sobrancelhas em uma só sessão.

Além disso, o tratamento com botox permite modificar a posição de estruturas anatômicas do rosto, como evitar a exposição da gengiva ou que a ponta do nariz fique projetada para baixo. 

A quem é indicado o tratamento

A toxina botulínica é indicada para homens e mulheres a partir dos 30 anos (preventivamente) ou quando os sinais de envelhecimento começam a aparecer, a exemplo de rugas, marcas de expressão. 

Contraindicações

Por mais interessantes que sejam os benefícios da toxina botulínica para fins estéticos e mesmo sendo usado para crianças que passam por alguma das terapias listadas, há contraindicações. A principal delas é para crianças e adolescentes, que só podem se submeter a tratamentos clínicos. 

Além disso, é contra indicada para gestantes e lactantes. O intuito é prevenir quaisquer efeitos ainda desconhecidos nos bebês. 

Também não é indicado para pacientes que estejam fazendo uso de medicamentos anti-inflamatórios, visto que eles podem reduzir o tempo de ação da toxina no organismo. Ademais, pessoas que tenham alguma lesão cutânea próximo à região a ser tratada, ou que tenham alergia a albumina não devem se submeter ao tratamento.

Efeitos colaterais

A toxina botulínica só deve ser aplicada pelo dermatologista, mesmo sendo um procedimento considerado pouco invasivo. Ele é o profissional mais indicado, pois conhece a anatomia muscular e tem a experiência necessária para conduzir os tratamentos. 

Os efeitos colaterais são mínimos e cada vez menos evidentes devido à preparação dos profissionais e recomendações. Entre eles podemos ressaltar dor no local da aplicação, pequenos hematomas, náuseas, dores de cabeça e sintomas semelhantes ao da gripe. 

Em raras ocasiões, o paciente pode apresentar queda do músculo tratado e fraqueza temporal facial. Nesses casos é necessário buscar ajuda médica. 

Com a avaliação adequada do estado de saúde do paciente, objetivos claros e seguindo as recomendações médicas, dificilmente surgirão algum tipo de efeito colateral ou risco.

Agende uma consulta através do nosso WhatsApp

Dra. Juliana Toma – Médica Dermatologista pela Universidade Federal de São Paulo – EPM

Clínica no Jardim Paulista – São Paulo – SP

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521. Médica Especialista em Dermatologia pela SBD. Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês. Pós-Graduação em Pesquisa Clínica - Principles and Practice of Clinical Research - Harvard Medical School (EUA).

Deixe o seu comentário

Abrir chat
Agende sua avaliação