Microagulhamento para melasma – como funciona a técnica

O melasma em si não é perigoso, não evolui para outras doenças como câncer, coça ou arde, mas ainda assim muitas pessoas buscam formas de atenuar as marcas para evitar o incômodo estético provocado por elas. 

O microagulhamento para melasma é um dos tratamentos mais eficazes para clarear as manchas causadas pela condição. 

A técnica é capaz de melhorar o quadro de forma sensível e em poucas sessões já é possível notar as mudanças. Ela vai agir principalmente nas áreas afetadas pela hiperpigmentação causada pela produção excessiva de melanina. 

Saiba mais sobre o melasma, suas causas e como identificar.

Continue lendo o post, entenda mais sobre os benefícios do microagulhamento, como funciona a técnica, entre outras informações para quem busca clarear as manchas de melasma.

Como funciona o microagulhamento para melasma?

O microagulhamento  (Indução Percutânea de Colágeno por Agulhas – IPCA) é uma técnica em que são feitos micro furos na pele para estimular o colágeno. É semelhante à acupuntura, no entanto, as perfurações são feitas de forma múltipla e localizada, produzindo o efeito benéfico somente na área tratada. 

Pode ser realizado por meio de diferentes técnicas, desde pequenos rolos que sustentam as agulhas, até equipamentos mais modernos, em que é possível regular a profundidade das perfurações.

Essas pequenas lesões controladas induzem não só o colágeno novo, mas também a renovação celular de forma intensa. Isso quer dizer que ao invés da camada de tecido manchada pela hiperprodução de melanina, surge uma camada renovada, com maior elasticidade, tônus e sem manchas. 

O clareamento aqui se dá tanto pelo rearranjo da melanina após os microfuros, como pela penetração de ativos pelos canalículos durante o processo. Ou seja, o dermatologista pode associar agentes clareadores e aplicá-los no interior da derme, assim há uma maior absorção dos ativos. 

imagem 29

Quais os benefícios do tratamento?

Além do clareamento das manchas de melasma, o microagulhamento é uma técnica que traz uma série de vantagens:

pigmentação de manchas causadas pelo sol ou idade;
melhora o aspecto de linhas do tempo, rugas, bigode chinês, etc;
preenche poros prevenindo acnes;
auxilia no rejuvenescimento facial;
reduz cicatrizes no rosto, como as da acne;
auxilia no clareamento da pele.

O microagulhamento é minimamente invasivo, não é doloroso e permite o retorno às atividades do cotidiano no mesmo dia. 

Como é a sessão?

Inicialmente é preciso ir ao dermatologista para o diagnóstico e recomendação da terapia, que pode estar ou não associada a outras como tratamento tópico. Feito isso, é marcada a data para a primeira sessão do microagulhamento para melasma, que não exige grandes preparos do paciente. 

Pouco antes do procedimento é aplicada anestesia local na região a ser tratada. Em seguida, o dermatologista utiliza o equipamento para fazer os microfuros. A escolha da técnica é definida em conjunto entre paciente e médico.

Cabe ao profissional escolher previamente o tipo de agulha e agente clareador (se for o caso). O rolo manual possui profundidade fixa, por isso é necessário fazer um teste para avaliar se o paciente sente dor no local. Já os mais modernos, permitem o ajuste do tamanho e profundidade. 

Cada profundidade é destinada a um fim, quando se atinge camadas diferentes da pele, é possível obter resultados mais eficientes, principalmente no tratamento de manchas complexas.

Quantas sessões são necessárias para tratar o melasma?

Em geral, são necessárias três ou mais sessões, com intervalos entre quatro a seis semanas, conforme o tipo de tratamento e a complexidade das manchas. Após 15 a 20 dias da primeira sessão, já é possível perceber os resultados.

Quais os cuidados pós-procedimento?

Em algumas situações, a pele pode apresentar vermelhidão nos primeiros dias após a sessão. É importante evitar a exposição à luz solar em horários de pico (entre 10 da manhã e 4 da tarde), além de fazer uso de protetor solar com fator de proteção acima de 30 FPS. 

É importante manter o corpo e a pele hidratados, bebendo bastante líquidos e usando os dermocosméticos indicados pelo dermatologista. 

Quem pode fazer o microagulhamento para melasma?

Pessoas de qualquer idade que apresentem manchas de melasma ou cicatrizes de acne, inclusive gestantes, desde que obedecidas às orientações médicas, podem passar pelo tratamento. É necessário avaliar se será utilizado algum agente clareador seguro para gestantes.

Quais as contraindicações?

O microagulhamento é uma técnica versátil, que pode ser usada para diferentes problemas na pele, bem como o rejuvenescimento facial. São poucas contra indicações, entre elas, o paciente não pode estar com a pele bronzeada ou com infecções locais. Também não pode apresentar câncer de pele na área tratada ou nas proximidades.

Quando procurar o dermatologista

É necessário procurar o dermatologista quando notar alguma mancha ou sinal que aumenta de tamanho rapidamente. O melasma é uma condição crônica, ou seja, não tem cura, mas o tratamento permite clarear as manchas e evitar com que elas retornem. 

Saiba mais sobre o melasma, suas causas e como identificar. 

 

AGENDAMENTO ONLINE

Agende uma consulta através do nosso WhatsApp

Dra. Juliana Toma – Médica Dermatologista pela Universidade Federal de São Paulo – EPM

Clínica no Jardim Paulista – Al. Jaú 695 – São Paulo – SP

Agende uma Consulta e saiba mais sobre os tratamentos e protocolos estéticos mais indicados para potencializar suas características naturais.

NOSSA ESTRUTURA

Clínica localizada na região dos Jardins em São Paulo

Conta com estacionamento coberto no local com manobrista gratuito. Amplas instalações modernas. A clínica está pronta para receber seus pacientes de forma especial, e utilizar últimas tecnologias do mercado de maneira eficaz.

Juliana Toma Medica scaled
UM POUCO SOBRE A DRA.

Dra. Juliana Toma

CRM-SP 156490 / RQE 65521

Médica dermatologista, com Residência Médica pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP-EPM).

Especialização em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês. Fellow em Tricologia, Discromias e Acne pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Pós-Graduação em Pesquisa Clínica pela Harvard Medical School – EUA

CONHEÇA A EQUIPE

Dra. Juliana Toma

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521. Médica Especialista em Dermatologia pela SBD. Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês. Pós-Graduação em Pesquisa Clínica - Principles and Practice of Clinical Research - Harvard Medical School (EUA).

Deixe o seu comentário